MENU

Educação tornará sociedade mais 'virtuosa' e 'ética', diz Dilma

Educação tornará sociedade mais 'virtuosa' e 'ética', diz Dilma

Atualizado: Quinta-feira, 15 Setembro de 2011 as 4:03

A presidente Dilma Rousseff, durante evento de

educação infantil do PAC 2, no Palácio do Planalto.

(Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

  A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (15) que garantir educação a crianças e jovens tornará a sociedade brasileira mais “virtuosa” e “ética”. Dilma participou do lançamento de um plano de ampliação da rede de creches e pré-escolas municipais.

“Um país pode ser medido pela capacidade de atender às mães e as crianças. Se tivermos nossas crianças bem educadas, com apoio, acolhimento e carinho, certamente teremos uma sociedade bem mais virtuosa, tanto do ponto de vista ético como no direito de cada um dos brasileiros a ter as mesas oportunidades”, afirmou.

Desde o início do governo Dilma, quatro ministros deixaram o cargo por denúncias de irregularidades e corrupção. Nesta quarta (14), Pedro Novais pediu demissão do Ministério do Turismo após denúncia de que ele teria feito uso irregular de recursos públicos para fins particulares, tornando-se o quinto ministro a sair do governo. O deputado Gastão Vieira (PMDB-MA) foi escolhido por Dilma para substituir Novais no cargo.     Ainda durante a cerimônia de ampliação de creches, Dilma afirmou que universalizar o ensino pré-escolar é condição para que o Brasil se torne uma potência mundial. “Fazer creches é cumprir esse dispositivo que faz com que o Brasil chegue em 2016 tendo universalizado o ensino pré-escolar de quatro a cinco anos de idade. É algo fundamental para sermos uma grande potência”, disse.

O programa lançado por Dilma na manhã desta quarta está previsto na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC 2, e prevê a possibilidade de construção de 4,9 mil creches em 1,4 mil municípios. Também serão construídas, de acordo com o projeto, 6,1 mil quadras esportivas cobertas em escolas públicas. O objetivo do governo é atender 100% das crianças de 4 a 5 anos até 2016 e 50% das crianças de 0 a 3 anos até 2020.

veja também