MENU

Ensino à distância começa a mostrar resultados no Brasil

Ensino à distância começa a mostrar resultados no Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 7 Maio de 2008 as 12

O crescimento da base instalada de Internet no Brasil está criando as condições para a consolidação de outro fenômeno que chama a atenção de escolas, empresas e instituições: o amadurecimento do ensino à distância, ou ?e-learning?. Análise do Centro de Estudos sobre Tecnologias da Informação e Comunicação (CETIC) revela que a Internet já está presente em 14,5% dos domicílios, em mais de 95% das empresas e é usada de modo sistemático por cerca de 30% da população. Um dos resultados disso é o crescimento de 571% nos cursos à distância e de 315% de estudantes matriculados, segundo aponta o Censo da Educação Superior promovido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) do MEC. No campo empresarial, ao menos 27,8% das companhias usam a rede também para ações de educação e treinamento de funcionários.

Mas não são apenas os números que refletem esse amadurecimento. O Brasil já tem profissionais reconhecidos internacionalmente nesse segmento, como Francisco Antônio Soeltl, membro do comitê de criação do Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (CONARH), promovido pela ABRH-NACIONAL, além de Presidente da MicroPower e do Portal e-Learning Brasil, que em 22 de abril recebeu uma homenagem da United States Distance Learning Association (USDLA) pela excelência dos resultados apresentados com o portal e-Learning Brasil nos últimos 8 anos.

?Vivenciando o e-learning nos últimos 10 anos, observamos que o aprendizado é um processo contínuo e não apenas um evento. O bom ensino à distância não é apenas auto-aprendizado, mas envolve momentos onde, tanto nas corporações quanto nas escolas, a difusão do conhecimento se dá com o apoio de instrutores e professores capacitados para essa nova dinâmica de ensino?, explica Soeltl.

Soeltl assinala que muitas organizações e escolas estão incorporando tecnologias para apoiar o aprendizado que possibilitam a experimentação de situações de ?realidade virtual? ou ?realidade expandida?. Estas técnicas permitem momentos de aprendizado até mais intensos do que os verificados em sala de aula presencial, pois envolvem a atenção do funcionário ou aluno de um modo mais lúdico.

Resultados práticos

Apesar do curto espaço de tempo em que o ensino à distância está em uso no Brasil, os resultados já são surpreendentes. Isso porque, em 2007, o INEP (órgão de avaliação e pesquisa do MEC), comparou o desempenho dos alunos dos mesmos cursos nas modalidades a distância e presencial. Em sete das 13 áreas onde essa comparação é possível, alunos do ensino à distância se saíram melhores do que os demais. Quando a análise é feita apenas levando em conta os alunos que ainda estão na fase inicial do curso, uma vez que a pesquisa do INEP permite separar o desempenho de ingressantes e concluintes, o quadro é ainda mais favorável ao ensino a distância: em nove das 13 áreas o resultado foi melhor.

Segundo Soeltl, os novos talentos, jovens entre 20 e 30 anos, já vivenciavam as tecnologias de informação e comunicação antes de entrarem em cursos superiores ou no mercado de trabalho. ?Esses jovens estão aprendendo que não existem limites para as aplicações dessas tecnologias. Mas a geração que vai suceder estes jovens não terá sequer conhecido o mundo sem essas tecnologias, o que aponta para o fato de que o ensino à distância é uma tendência irreversível?, comenta.

veja também