MENU

Ensino fundamental de SP terá novos ciclos e avaliação semestral

Ensino fundamental de SP terá novos ciclos e avaliação semestral

Atualizado: Quinta-feira, 6 Janeiro de 2011 as 8:52

O secretário da Educação do estado de São Paulo, Herman Voorwald, empossado nesta quarta-feira (5), disse que, a partir de 2012, todos os alunos do ensino fundamental terão de passar por avaliação semestral aplicada pelas escolas da rede estadual com padrão definido pela secretaria. Os alunos que  forem mal neste exame farão uma recuperação a cada seis meses.

O novo exame não será como o Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) que avalia o sistema, pois será criado para identificar o nível de aprendizado do estudante.

Também haverá mudanças nos ciclos de ensino, segundo o secretário, que adiantou que o governo vai substituir o termo “progressão continuada” por “reorganização do ensino fundamental de nove anos”.

Pelo sistema de progressão continuada o aluno só pode ser reprovado no 5º e no 9º ano do ensino fundamental. O sistema foi implantado em 1997 no estado de São Paulo com o objetivo de garantir o acesso e a permanência dos estudantes na escola, evitando a evasão.

Voorwald não quis dar detalhes do programa, pois disse que ainda depende da aprovação do governador Geraldo Alckmin e de uma discussão com a rede. “Hoje há uma leitura de que a progressão continuada é a grande responsável por não haver uma educação de qualidade, mas, por si só, ela não é a grande responsável. Porém, repetência não é a solução do problema. A questão é o aprendizado”, afirmou.

Para o secretário, é preciso identificar se a reprovação foi ocasionada pelo próprio estudante ou representa que o sistema não permitiu que ele aprendesse. "Com a recuperação, em um curto espaço de termo, será possível levantar se efetivamente houve ou não o aprendizado."

Segundo Voorwald, é fundamental que professores e diretores da rede opinem sobre o novo modelo de ensino. "Aquele que tem responsabilidade de que haja o aprendizado precisa se manifestar." Para isso, a secretaria vai encaminhar um documento a todas as escolas públicas do estado para que professores e diretores se manifestem. Os documentos serão direcionados às 91 diretorias regionais, e a partir disso, será tirada uma proposta que reflete o "sentimento da rede".

Nesta terça-feira (4), Voorwald já havia dito que a progressão continuada passará por mudanças. "Sofrerá, sim, alterações no sentido do aprimoramento", disse ao G1.

Reportagem do jornal “Folha de S.Paulo” desta terça-feira disse que o modelo mais provável a ser adotado pelo governo será de aumentar de dois para três o número de séries em que aluno pode repetir. Segundo a reportagem, o aluno poderá ser reprovado no 3º, 6º e 9º ano.

Voorwald preferiu não confirmar a informação. “O que adiantamos, porque isso faz parte do projeto da atual gestão da secretaria, é o aprimoramento da proposta sempre no sentido de, que é o objetivo nosso na ponta, o aluno ter o melhor aprendizado. Esse é o objetivo fundamental”, disse.

Currículo

Herman Voorwald é natural de Rio Claro (SP), formado em engenharia mecânica pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 1979, com mestrado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Foi vice-reitor da Unesp de 2005 a 2008, em 2009 foi nomeado reitor da universidade.

Creches

O chefe de gabinete, Fernando Padula Novaes, disse nesta quarta, após a cerimônia de posse que neste ano será finalizado o projeto que prevê o investimento de R$ 1 bilhão para criação de creches ao longo deste mandato. A previsão é que sejam criadas entre 200 a 250 mil vagas.

"As prefeituras não têm capacidade de executar os projetos sem ajuda do Estado. Além disso, esta foi uma promessa de campanha do governador que está apenas há três dias no cargo. Ele já incluiu na proposta orçamentária deste ano essa rubrica, agora vamos ter de formatar decreto e minuta de convenio", disse Novaes,  justificando que não poderia dar detalhes do programa, pois ainda não houve tempo suficiente para formatá-lo.

Por Vanessa Fajardo

veja também