MENU

"Escola de lata" fica entre as melhores no Ideb no Rio Grande do Sul

"Escola de lata" fica entre as melhores no Ideb no Rio Grande do Sul

Atualizado: Quarta-feira, 14 Julho de 2010 as 9:38

Uma escola que tem quase metade dos estudantes assistindo a aulas em contêineres ficou entre as melhores colocadas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Rio Grande do Sul.

A Escola Estadual Ismael Chaves Barcellos, localizada no bairro Galópolis, em Caixas do Sul, tem 240 alunos que estudam nos contêineres, desde 2008, do total de 486 estudantes. A escola tem turmas da 1ª à 8ª série do ensino fundamental.

De acordo com o Ideb, a escola atingiu, da 1ª à 4ª série, a quarta melhor nota entre as escolas estaduais do estado, com a nota 6,9, e da 5ª à 8ª série, o décimo melhor índice, com a nota 5,3. A média do Rio Grande do Sul para a 4ª série foi de 4,9. Para a 8ª série, foi de 4,1. As médias nacionais foram 4,6 e 4 nos dois ciclos, respectivamente.

Assim como outras seis unidades do estado, a escola tem salas ''de lata'', como são conhecidos os contêineres, devido a problemas de infraestrutura do prédio. Em 2008, um incêndio destruiu parte da escola e no final do ano passado um vendaval causou danos em outra parte do prédio.

Para a diretora, Sônia Beatriz Sbersi, o bom resultado no Ideb se deve ao empenho dos alunos e professores e à participação dos pais na educação das crianças. “Os professores ganham pouco, mas se esforçam, e os pais cobram que os filhos estudem”, disse.

Segundo Sônia, a acústica dos contêineres é ''péssima'', não há ventilação e o piso tem um cheiro ruim. ''Apesar de tudo que nos empurra para baixo, sabermos que tivemos um bom desempenho no Ideb, é muito bom'', afirmou.

Uma estudante da 5ª série reclama do calor dos contêineres. ''É muito quente, atrapalha a concentração, mas a gente vai levando. Não tem outro modo'', disse a garota, de 11 anos. A aluna elogio os professores. ''Eles ensinam bem. Têm paciência para nos ajudar a compreender o que dizem'', afirmou.

A Secretaria da Educação do Rio Grande do Sul afirmou que uma licitação da obra de reconstrução da escola ocorrerá até o final de julho e a previsão de entrega é para o final do ano. ''Acho difícil, por causa dos prazos legais, mas esperamos que, no meio do ano que vem, o prédio fique pronto'', disse Sônia.

Por Fernanda Nogueira

veja também