MENU

Escola municipal funciona sobre antigo lixão na Zona Norte de SP

Escola municipal funciona sobre antigo lixão na Zona Norte de SP

Atualizado: Sexta-feira, 16 Abril de 2010 as 12

Uma escola municipal de educação infantil com quase 300 alunos foi construída sobre um lixão desativado na Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte de São Paulo. O aterro funcionou por 20 anos no local.

Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), no subsolo do terreno há concentração de gás metano - que pode causar explosões. A companhia também informou que a prefeitura sabe disso desde 1999, há mais de dez anos.

A prefeitura já decidiu mudar os alunos da Escola Municipal Vicente Paulo da Silva, que têm de 3 a 6 anos, para outro local. A decisão foi tomada em 2007, mas até agora nada aconteceu. A previsão é de que eles sejam transferidos no meio deste ano.

Os alunos passam em média seis horas por dia na escola. Eles brincam em uma área bem próxima aos poços de monitoramento de controle do gás metano. Para fazer a medição do gás metano, com uma pequena mangueira, eles medem a quantidade de gás dentro da escola. O monitoramento é feito toda semana, porque existe, segundo eles, risco de explosão e contaminação. Segundo a prefeitura, até agora não foi detectado nenhum perigo para as crianças.

O terreno onde a escola foi construída era a porta de entrada do lixão. Ela foi inaugurada em 1988 e o risco já é conhecido. Em dezembro de 2009, a escola vizinha, também municipal, foi fechada por causa dos riscos.

"A primeira escola foi desativada porque tínhamos um prédio pronto que atendia a demanda local. A segunda escola continua com o monitoramento, e está sendo adequado o local para que sem prejuízo da distância sejam atendidas as crianças", afirmou Maria Antonieta Carneiro, diretora regional de educação. "Em 2006 fomos comunicados do problema, e imediatamente a secretaria municipal começou o monitoramento."

veja também