MENU

Escolas conscientizam seus alunos sobre o uso adequado de medicamentos

Escolas conscientizam seus alunos sobre o uso adequado de medicamentos

Atualizado: Sexta-feira, 9 Maio de 2008 as 12

A legislação brasileira indica que as instituições de ensino só estão autorizadas a ministrar medicações para os seus alunos mediante a prescrição médica ou com o próprio acompanhamento médico.

Para conscientizar o uso de medicamentos nas escolas, a Anvisa, desde o ano passado, promove o projeto de Educação e Promoção da Saúde no Contexto Escolar. O principal objetivo da Anvisa é possibilitar que professores e educadores estimulem a reflexão dos alunos do ensino fundamental sobre temas como a propaganda de medicamentos e o uso destes produtos, além de conscientizar os participantes do curso sobre o uso adequado de qualquer medicação.

Algumas instituições de ensino adotam medidas que trazem mais segurança para a saúde de seus alunos. A Escola Internacional de Alphaville, por exemplo, só permite a manipulação de remédios, feita por professores e educadores, seja para mal estares comuns como para tratamentos específicos, apenas com informações pré-escritas pelos médicos dos alunos. Os dados são enviados por escrito pelos pais ou responsáveis, que no início de cada ano letivo preenchem um formulário sobre cada solicitação e outras informações médicas. "Este formulário é atualizado constantemente. A escola mantém também na ficha de cada criança dados dos médicos responsáveis para qualquer eventualidade", revela o diretor da escola, Ricardo Chioccarello.

Outra iniciativa feita pela escola é o curso de capacitação e orientação voltado a "cuidadores de crianças", chamado de Child Care, ministrado pelo Dr. Christian Galdino, que há 15 anos atua com pediatria preventiva e é membro da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Em uma linguagem clara e objetiva, o programa ensina mães, pais, babás e educadores a conhecerem os requisitos básicos de ser um "cuidador de crianças" e ações preventivas e educativas que capacitam os participantes a agir diante de situações possíveis que envolvam a saúde de recém-nascidos, lactentes e crianças na fase pré-escolar. O curso aborda também assuntos sobre a segurança da criança em casa, nos meios de recreação e no transporte.

Para o Dr. Christian Galdino, a escola é o segundo ambiente onde a criança mais fica e, por isso, é lá que muitos dos cuidados devem ser tomados. "Precisamos redobrar a atenção na fase em que as crianças estão aprendendo a andar e a pegar objetos sozinhas. É neste momento que mais acontecem os acidentes e lesões, como o engasgo provocado por balas, remédios ou comida. As informações corretas para a prevenção é o principal caminho para se diminuir os acidentes", explica.

veja também