MENU

Escolas de MG usam técnicas lúdicas para ensinar matemática

Escolas de MG usam técnicas lúdicas para ensinar matemática

Atualizado: Segunda-feira, 2 Agosto de 2010 as 4:07

Em Belo Horizonte (MG) o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) revelou que a matemática foi responsável pelas médias mais baixas. 

“A matemática está no dia no dia, está na nossa vida, gostando ou não você tem de saber”, diz a aluna. Então por que será que a disciplina complicou a vida de tanta gente no último Enem?

"Acho que há um bloqueio porque a pessoa fala que não gosta de matemática por uma experiência ruim e aí não vai aprender nunca”, diz um aluno de 16 anos.

Comente esta notícia

O professor Rogério Rodrigues diz que muita dessa fama se deve a métodos que já foram abandonados. “Eu sou de uma geração onde a gente decorava 30 teoremas durante o mês e o professor cobrava cinco em uma prova. Isso é uma violência.”

Em uma escola da região noroeste de Belo Horizonte as professoras trazem jogos e brincadeiras para a sala. É assim que a turma começa a lidar com os fundamentos da matemática.

“Não precisamos colocar os números para dizer que estamos trabalhando com matemática. Ao trabalhar o raciocínio você trabalha diretamente com a matemática”, afirma Nardânia de Almeida, professora de educação infantil.

O garoto de 7 anos diz que se sente à vontade com o desafio. “Aprender brincando é melhor. Você aprende os jogos e aprende mais coisas.”

“O aprendiz deve desenvolver habilidades e não somente memorizar conteúdo, mas habilidades de raciocínio. Assim vai aprender matemática com muito gosto”, afirma Dulce Maria, coordenadora pedagógica.

Mudar a forma de ensinar pode ser um caminho. Quando a sala de aula se transforma em laboratório, o esforço para compreender até as ideias mais complexas é bem menor. No centro pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) os experimentos combinam matemática com aulas de física e química.

A garota de 11 anos diz que adorou aprender o Teorema de Pitágoras exercitando o cérebro e os sentidos. “Melhor do que aprender na sala de aula.”

veja também