MENU

Escolas promovem ações para auxiliar estudante na hora de escolher a carreira

Escolas promovem ações para auxiliar estudante na hora de escolher a carreira

Atualizado: Quinta-feira, 12 Agosto de 2010 as 4:27

Uma quantidade cada vez maior de escolas está estimulando nos alunos o ímpeto pela escolha de uma carreira profissional. Por meio de visitas a universidades e empresas, palestras com especialistas e atendimento vocacional, os colégios procuram desde cedo orientar os estudantes quanto à vida profissional.

“Trabalhar a carreira do jovem na escola, por meio de orientação profissional, o auxiliará em uma tomada de decisão mais consciente, aumentando as possibilidades de uma escolha mais acertada. A hora da escolha é um momento bastante delicado, pois o jovem se vê em uma "sinuca" de ter de decidir um caminho que impactará o resto de sua vida profissional”, afirma a coordenadora do Veris Carreiras, da Veris Faculdades, do Grupo Ibmec Educacional, Priscila de Azevedo Costa Martins.

Desde cedo

No colégio Anhembi Morumbi, na zona sul de São Paulo, os alunos participam de visitas monitoradas a universidades, que também disponibilizam oficinas nas áreas de maior interesse do grupo. Outro ponto de destaque é a "A Construção do Projeto de Vida e a Escolha Profissional", evento que ocorre no mês de setembro, envolvendo os alunos da 2ª e 3ª série do Ensino Médio.

"Por sermos uma escola internacional, oferecemos aos nossos alunos uma carga horária diferenciada para a aprendizagem da língua inglesa, o ensino do espanhol e um programa de vivência da língua inglesa nos Estados Unidos para os alunos da 2ª série do Ensino Médio, que lhes permite adquirir experiência internacional e orientação para estudos de nível superior nos EUA", afirma a diretora da instituição, Déa Almeida.

Na avaliação de Priscila, quanto mais cedo for trabalhado  esse processo profissional no jovem, mais facilidade ele terá para desenrolar essa questão de escolha.

"Se o jovem tem a oportunidade de começar a trabalhar esses conflitos desde o Ensino Médio, com a oportunidade de se munir do máximo de informações possíveis sobre seus interesses e sobre os cursos existentes, a chance desse momento crítico [ escolher a carreira ] se tornar mais tranquilo e mais acertado é muito maior", explica a especialista.

De olho na carreira

O colégio Augusto Laranja, também na zona sul da capital, promove, a partir de um levantamento sobre os interesses profissionais dos alunos, o "Fórum de Profissões".

Realizado no mês de julho, os estudantes são contemplados com visitas dos profissionais das diversas áreas mais votadas, que debatem os desafios e possibilidades de cada segmento.

Fato interessante se dá na aula destinada aos alunos do terceiro colegial batizada de "Orientação vocacional e profissional, empregabilidade e empreendedorismo". São 12 aulas presenciais em que são debatidas e exercitadas as capacidades empreendedoras de cada cursando.

"Além dessas ações, o terceiro colegial participa do estágio assistido, onde os alunos procuram uma empresa da área que pretendem se aprofundar para realizarem estágios não remunerados", afirma a coordenadora do 9º ano ao Ensino Médio da instituição, Maria Aldenira.

Começar esse trabalho já no segundo ano e estendê-lo até a metade do terceiro ano do Ensino Médio, quando começam as inscrições para os vestibulares, é essencial para a formação do estudante, defende Priscila, do Ibmec.

Quais os erros mais cometidos pelos jovens na hora de escolher a carreira?

Muitos jovens que ingressam em cursos dos quais não têm pleno conhecimento - ou em cursos mais tradicionais almejando diminuir os riscos de erros - acabam tendo de mudar todo o caminho universitário, na intenção de encontrar uma profissão com a qual mais se identifique.

"Por isso que vemos nas instituições de Ensino Superior vários estudantes inseguros com suas formações profissionais e com dificuldades de inserção do mercado de trabalho. Afinal, ter amor pela profissão faz toda diferença no alcance do sucesso, independentemente do conceito de sucesso que a pessoa possua", reitera Priscila.

De acordo com a especialista do Ibmec, as armadilhas mais encontradas pelos jovens são:

Escolher uma profissão apenas pelo retorno financeiro. Se preocupar mais com status social da profissão do que com as habilidades e talentos que possui.

  Deixar que escolham a carreira por ele. Ex. Pais que decidem que os filhos deverão seguir suas carreiras e cuidar do patrimônio construído.

  Escolher cursos de graduação bastante abrangentes, na intenção de retardar sua escolha por uma área específica.

  Escolher qualquer curso e não procurar um auxílio profissional para este fim.  

veja também