MENU

"Estão minimizando os problemas", dizem alunos de medicina da UFSCar

"Estão minimizando os problemas", dizem alunos de medicina da UFSCar

Atualizado: Terça-feira, 11 Maio de 2010 as 7:46

Estudantes do quinto ano do curso de medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), que estão sem aulas práticas, o chamado ''internato médico'', desde 30 de abril, criticaram nesta segunda-feira (10) o reitor da universidade, Targino de Araújo Filho.

O grupo de alunos teve uma reunião com a secretária de Educação Superior, Maria Paula Dallari, na manhã desta segunda-feira para falar sobre o fim do acordo verbal feito entre a Santa Casa de São Carlos e a UFSCar devido à falta de pagamento da universidade ao hospital. Os estudantes fizeram as aulas no hospital por dois meses.

'''Estão tentando minimizar os problemas do curso de medicina da UFSCar'', disseram os alunos após o encontro. A principal reivindicação dos estudantes era que a reitoria estipulasse uma data para resolver a situação. ''Disseram que vai ser logo, mas não disseram quando, nem de que forma'', afirmou o estudante Renan Ramos Marangoni, de 23 anos.

Os estudantes afirmam que não foi dada preparação aos médicos da Santa Casa sobre o internato. ''Nenhuma atividade que fizemos lá foi avaliada. Não sabem se as práticas eram corretas'', disse o estudante.

À imprensa, o reitor disse que negocia com quatro hospitais de outras cidades para que os alunos possam reiniciar o internato num desses locais.

O reitor afirmou que só irá divulgar os nomes dos hospitais quando as parcerias forem concretizadas. ''Nem isso (o número de hospitais envolvido na negociação) disseram para a gente'', afirmou Laurene Sayuri Kiyota, de 24 anos.

No ano passado, os estudantes de medicina da UFSCar fizeram uma paralisação de 67 dias para protestar contra as más condições do curso. ''A paralisação acabou com várias promessas e nenhuma foi cumprida'', disse o estudante Igor Goto, de 30 anos.

A secretária Maria Paula afirmou que espera que o problema seja resolvido nos próximos dias. ''O MEC acompanha a situação e está vendo que a universidade está engajada na resolução'', afirmou.

Nesta terça-feira haverá uma nova reunião do reitor com todos os estudantes do curso de medicina.

Discussão

Sobre discussão com os alunos na última sexta-feira, quando disse aos estudantes que deveriam procurar outra faculdade se quisessem a resolução imediata do problema, Araújo Filho disse que divulgou uma nota no site da universidade pedindo desculpas. ''Os alunos merecem respeito pela luta que vem desempenhando pela adequação do curso'', disse.

Por Fernanda Nogueira

veja também