MENU

Estudantes de MG participam de competição de robótica nos EUA

Estudantes de MG participam de competição de robótica nos EUA

Atualizado: Quinta-feira, 13 Maio de 2010 as 2:56

Estudantes da Universidade Federal de Itajubá, no sul de Minas Gerais, participaram de uma competição de robótica, nos Estados Unidos, e voltaram com ótimos resultados. A tecnologia desenvolvida pelo grupo já está sendo levada para outras partes do mundo.

Quem olha para as peças desmontadas até duvida da capacidade dos protótipos, mas basta dar uma olhada na perfomance na competição para descobrir o potencial deles.

Em uma arena blindada, a maior competição de robótica do mundo, que ocorreu no mês passado, na Califórnia, nos Estados Unidos, o duelo é entre dois robôs de combate. Com um só golpe, o robô brasileiro manda o campeão norte-americano dos últimos dois anos para bem longe.

Apesar do feito, o robô brasileiro não foi longe. Acabou sendo derrotado por outro robô, que usou material projetado pelo FBI (departamento federal de investigações dos EUA).

''Aquele que ganhou o primeiro lugar tinha aço projetado pelo FBI. Era à prova de bala, mas o nosso nível está muito bom. A gente já é referência nacional e agora, internacionalmente, a gente conquistou muita fama. Deu para dar um grande destaque para o país. Não só a gente, mas também as outras equipes nacionais'', disse Larissa Leme, estudante de engenharia de controle e automação.

O grande resultado veio dos robôs do hóquei, que deixaram a equipe da Universidade Federal de Itajubá com o vice-campeonato mundial.

''Tem muita pesquisa, muito desenvolvimento. A gente pesquisa todo material que a gente coloca, qual motor vai colocar, se vai colocar alumínio, se vai colocar titânio, qual é mais caro, qual é mais barato. O que realmente importa é a pesquisa que a gente desenvolve'', disse Larissa.

Só o projeto de um robô, apelidado de ''A Besta'', custou cerca de R$ 20 mil. Cada peça foi planejada e desenvolvida pela equipe de 18 estudantes. Parece até brincadeira, mas o que está sendo criado são novas tecnologias para o futuro.

''A gente até desenvolveu projetos e vendeu para fora para pessoas que queriam os nossos eletrônicos para controlar camêras de supervisionamento. Então, a gente vê que a pesquisa a gente aplica aqui, nessa ideia, nesse projeto, mas a tecnologia e a pesquisa pode ser aplicada em diversas áreas'', disse Renan Rosa Martines, estudante de engenharia de controle e automação.

A equipe da universidade é formada por estudantes de seis cursos e acumula prêmios em campeonatos de robótica desde que foi criada em 2001.

''Aqui, todo mundo leva muito a sério o desenvolvimento de robótica. Algumas coisas a gente tem que comprar, os motores, coisas que você vai desenvolver, mas a parte eletrônica inteira, o projeto, desenho inteiro do robô, é tudo feito dentro da universidade pelos alunos'', disse Rafael Pizzi, estudante de engenharia de controle e automação.

Para tentar descobrir de onde vem o sucesso dessa equipe, desvendamos um segredo guardado a sete chaves. Visitamos o inusitado local de testes dos robôs, um banheiro.

''Lá fora, o chão é todo cheio de relevos e não adianta. O chão da arena tem que ser um chão liso. E o lugar melhor que a gente encontrou foi o banheiro'', disse outro estudante.

veja também