MENU

Estudantes ouvidos pelo G1 criticam proibição de lápis e borracha no Enem

Estudantes ouvidos pelo G1 criticam proibição de lápis e borracha no Enem

Atualizado: Sexta-feira, 5 Novembro de 2010 as 11:40

Estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ouvidos pelo G1 criticam a decisão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) de proibir o uso do lápis e borracha na prova. Eles dizem que o lápis permite mais flexibilidade para fazer os rascunhos e que já estão habituados a usá-lo. Para os candidatos a uma vaga nas universidades públicas, tais restrições não interferem na segurança do exame.

Outros itens que devem ficar fora das salas, segundo o instituto, são apontador, lapiseira, grafite, livros, manuais, impressos, anotações, máquinas calculadoras e agendas eletrônicas ou similares, telefones celulares, pagers, bip, walkman, gravador, mp3 ou similar, ou qualquer receptor ou transmissor de dados e mensagens.

O Enem começa neste sábado (6), das 13h às 17h30, com questões de ciências humanas e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias. Neste domingo (7), a avaliação será realizada das 13h às 18h30, com perguntas sobre linguagens, códigos e suas tecnologias, além de redação, e matemática e suas tecnologias. Segundo o Inep, 4,6 milhões de candidatos estão inscritos.

Às vésperas do exame, os estudantes também falaram sobre como se preparam para a maratona de 180 questões e o que esperam do Enem 2010. Confira as opiniões:

"É um absurdo proibir o uso do lápis porque ele deixa a gente mais vontade para escrever. Além do mais, usá-lo ou não é indiferente para a segurança da prova. Acho que o exame vai seguir o modelo do ano passado que cobrou muita interpretação e foi bem cansativo."

Naiady Barboza, de 18 anos, que cursar geologia "As novas regras para o Enem podem atrapalhar um pouco porque escrever a lápis deixa a gente mais flexível. Mas acredito que será uma prova fácil que vai cobrar mais lógica do que conhecimento."

Gabriel Araújo, de 18 anos, que cursar relações internacionais "Leio bastante porque o Enem tem enunciados longos que exigem interpretação e acho que a leitura sempre ajuda. Também acredito que vá aparecer muitos gráficos e tabelas. Sobre as novas regras, achei um grande exagero."

Vitória Zem, de 18 anos, quer cursar relações internacionais "O Enem é uma prova que vence mais pelo cansaço do que pelo nível técnico das questões. Ela é cansativa porque tem muitos textos, porém este modelo vai ser repetir, e não deve cair nada que eu já não esteja esperando."

Diego Pais de Lima, de 20 anos, quer cursar economia "Como o Enem é uma prova muito cansativa que exige interpretação, meu preparo é mais físico e psicológico. Estou tentando me manter calma, fico atenta à postura na hora de estudar e faço exercícios."

Mariana Alves de Carvalho, de 18 anos, quer cursar engenharia química "Estou estudando bastante porque o ensino da escola não é suficiente para passar no Enem. Acho que a parte de ciências naturais estará mais difícil porque serão cobrados muitos assuntos de meio ambiente."

Iago Fernando Sousa, de 18 anos, que cursar engenharia civil "Acho as novas regras exageradas. Não vejo motivo de proibir o uso do lápis, além do mais não dá para fazer tudo a caneta. Estudo desde o começo do ano e leio bastante, espero que a prova não esteja difícil."

Daniele do Nascimento Dias, de 19 anos, que cursar biomedicina "Não é necessário 180 questões para avaliar se um aluno tem ou não o perfil de uma certa faculdade. Há um exagero de perguntas que deixa a prova cansativa. Este ano acho que o grau de dificuldade será maior porque o governo que resgatar a credibilidade do exame."

Dimas Lima de Abrantes, de 20 anos, quer cursar engenharia elétrica "Não vejo lógica nas novas regras, de proibir lápis e relógio, são muito rigorosas. Faço cursinho desde o começo do ano, estou fazendo uma revisão específica para o Enem e estudo em casa. Vai ser o segundo ano que presto."

Rebeca Oliveira, de 20 anos, quer cursar medicina veterinária "Procuro estar sempre informada para fazer uma prova boa. Também faço cursinho e à noite estudo em casa. Espero que, assim como no ano passado, a prova cobre mais interpretação de texto."

Aline Aureli, de 18 anos, quer cursar economia "As novas regras são desnecessárias e não vão ajudar em nada. Faço cursinho específico para o Enem, leio sobre atualidades e espero que a prova siga a tendência de cobrar mais interpretação."

Jussara Santos, de 18 anos, quer cursar psicologia

Por: Vanessa Fajardo

veja também