MENU

Estudantes ouvidos temem anulação do Enem

Estudantes ouvidos temem anulação do Enem

Atualizado: Quinta-feira, 11 Novembro de 2010 as 11:45

A indefinição sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aplicado no último fim de semana, tem deixado estudantes angustiados e aflitos. O exame está suspenso em todo o país, desde segunda-feira (8), seguindo decisão da Justiça Federal do Ceará, que afirma que os erros nas provas causaram prejuízo para os candidatos.

Logo depois do exame, no sábado (6), os estudantes reclamaram de problemas na folha de respostas e na prova amarela. Na folha de respostas, os cabeçalhos que indicaram as áreas de conhecimento estavam invertidos, na comparação com o caderno de questões. O Ministério da Educação diz que a orientação era seguir a ordem numérica das questões, mas alguns alunos afirmam que não receberam a recomentação e, por isso, preencheram o gabarito de forma invertida.

AlgAlém disso, um lote da prova amarela tinha problemas de impressão com algumas perguntas repetidas, outras faltando, sequência numérica errada e até algumas questões de um outro modelo aplicado, a prova branca.

O Ministério da Educação anunciou que vai recorrer da decisão da Justiça Federal cearense e tentar convencer a juíza que é possível aplicar uma nova prova aos cerca de 2 mil estudantes prejudicados pelas falhas no modelo amarelo. Segundo o MEC, isto seria possível graças à teoria de resposta ao item (TRI) utilizada no Enem.

O problema dos cabeçalhos invertidos seria solucionado, segundo o MEC, com um espaço aberto na web, onde o candidato poderia solicitar uma correção especial. O lançamento deste site, assim como a divulgação dos gabaritos oficiais, também estão bloqueados pela Justiça.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no total, 3,3 milhões de estudantes fizeram as provas.

O G1 ouviu alunos do Cursinho Popular, em São Paulo, para saber o que pensam sobre a polêmica que envolve o exame que substituiu os vestibulares em grande parte das universidades federais do país. Confira as opiniões:

"O Enem é uma prova muita cansativa, só quem fez tem ideia de como é. Seria injusto obrigar todo mundo a fazer uma segunda prova. Deveria ser algo optativo, valendo a maior nota. Além do mais, é muito complicado dizer que o grau de dificuldade vai se manter. O tema da redação, por exemplo, pode ser muito fácil para alguém e extremamente dificíl para outra pessoa."

Luísa Helena Rodrigues, de 19 anos, quer cursar engenharia civil

"Estudamos muito o ano todo, deixamos de sair, ver amigos e de repente não sabemos mais se tanto esforço valerá a pena. A obrigação do governo era a de reforçar a fiscalização, caso contrário os estudantes ficam à mercê de um erro infantil. Fui bem na prova e acho desncessário exigir que todos refaçam o exame."

Felipe Eduardo Lázaro, de 20 anos, quer cursar ciências sociais  

"Sou a favor de que o Enem seja reaplicado só para quem se sentiu prejudicado. Eu fui bem e, em dezembro, já tenho outros três vestibulares. Para mim, refazer a prova seria bem complicado. De qualquer forma, se não entrar na faculdade no próximo ano, não vou fazer o Enem. Tantos problemas nos desestimulam."

Rodrigo Santos da Silva, de 20 anos, quer cursar estatística

"O Enem é importante por causa da bolsa do ProUni e das oportunidades do SiSU. Mas mesmo que haja uma nova prova, a sensação é de insegurança, pois quem nos garante que não haverá mais erros e problemas?"

Juliana de Araújo Lima, de 23 anos, quer cursar letras

"No ano passado, o problema foi o roubo. Agora, neste ano, de quem é a culpa das falhas? Tiveram um ano para fazer a prova. O Enem vai ficar desacreditado e daqui a pouco ninguém mais vai querer prestar. Investimos tempo e dinheiro para fazer o exame. Isto não pode acontecer."

Álvaro Santos Santana, de 19 anos, quer cursar história

"Este ano, parei de trabalhar só para me dedicar aos estudos. É muito angustiante investir tanto em algo e agora nem saber no que vai dar. Vou prestar outros vestibulares, mas com o Enem as oportunidades são muito maiores."

Daniela Pereira, de 23 anos, que cursar letras

"Não estão levando os estudantes a sério, é o segundo problema consecutivo com o Enem. Como pode haver tantas falhas? Na minha sala, avisaram que os gabaritos estavam invertidos, mas ainda assim fiquei confuso na hora de marcar as respostas."

Enver Padovezzi, de 19 anos, quer cursar história

"Tenho a impressão que o governo deixa para preparar o Enem na última hora. Não é possível ter falha por falta de conferência. Desse jeito, cada vez mais, o exame perde credibilidade."

Jéssica Alves, de 18 anos, quer cursar letras

"Sou a favor de reaplicar o Enem somente aos alunos que foram prejudicados pela prova amarela. Mas fica claro que o exame tem de ser melhor planejado, até pela importância que ele tem. Não dá para admitir este tipo de erro."

Allan Rodrigo Alves dos Santos, de 21 anos, que cursar física

"Não vejo problemas em ter de fazer o Enem novamente. Na verdade, acho que o ideal seria mesmo reaplicar a prova. Muitas pessoas foram prejudicadas. Eu preenchi o gabarito conforme orientação dos fiscais, mas quem me garante que também não serei prejudicado?"

Darlan Santos, de 30 anos, quer cursar economia

Por: Vanessa Fajardo

veja também