MENU

Estudar para a escola ou para o vestibular?

Estudar para a escola ou para o vestibular?

Atualizado: Quinta-feira, 19 Junho de 2008 as 12

Qual é a melhor forma para estudar no último ano do Ensino Médio? É melhor se concentrar no vestibular ou o foco deve ser o colégio? Sou obrigado a fazer cursinho? Essas perguntas são freqüentes na cabeça dos alunos que estão na reta final da escola e se preparam para entrar na universidade. Na opinião de professores, a saída para não "bombar" no último ano e nem perder a vaga na faculdade é criar um plano de estudos equilibrado do começo ao fim dos doze meses, mesmo que em alguns momentos isso signifique sacrificar sábados ou domingos.

A professora do departamento de Psicologia da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) Maria Célia Lassance aconselha os alunos a pensarem num plano de estudos desde cedo, assim será mais difícil ter de abrir mão da vida social durante o ano. "O aluno deve testar-se antes para descobrir o período que aprende melhor. Assim, ele identificará se rende mais ao estudar à noite ou aos finais de semana", afirma. Essa primeira avaliação, segundo a professora, evita que os candidatos durmam sobre os livros na sexta à noite ou que passem horas para reescrever a mesma frase ao pensarem no cinema com os amigos durante os estudos.

Quem ainda está em dúvida sobre fazer ou não o cursinho deve pensar bem no modo como administra sua rotina de estudos e se boa parte dos conteúdos está na ponta da língua. Na opinião de Maria Célia, não há quem decida sobre isso melhor que o estudante. "O aluno é que tem consciência do quanto conciliar um cursinho junto à escola será cansativo para ele. Se na avaliação dele o cansaço for maior que o rendimento escolar, aí não vale a pena", diz ela.

Isso porque, quem optou pelo cursinho, deve estar preparado para estudar mais, ou pelo menos, para ter mais exercícios a fazer. O coordenador de vestibulares do Anglo, Alberto Francisco do Nascimento, explica que mesmo que esteja matriculado no cursinho o aluno deve encontrar períodos de estudos fora do horário de aula para fixar os conteúdos do vestibular. "O estudo deve ser feito de maneira individual porque dificilmente o aluno aprende em grupo", opina ele.

O grande desafio para quem precisa se desdobrar está justamente em encontrar horas vagas para estudar para a escola e para o vestibular. Para Nascimento, o segredo do sucesso está na organização do tempo para estudar e realizar exercícios para ambas as necessidades. "O estudante precisa se organizar ao máximo. Já houve casos de alunos que se empenharam apenas no cursinho para ter um bom resultado no vestibular e repetiram o ano da escola", lamenta o coordenador.

Na opinião de Maria Célia, o aluno deve se organizar de maneira a concentrar-se durante as aulas do cursinho para não precisar gastar mais tempo a fim de fixar os conteúdos do vestibular. Logo, ele conseguirá estudar para as duas coisas. "Desta forma, o estudante poderá dar conta do cursinho e ter como entregar seus trabalhos em dia na escola", garante.

A professora lembra ainda que o estudante não deve ficar 24 horas por dia debruçado sobre os livros. "Os candidatos não podem ficar o dia todo sentados só para estudar, senão certamente ficarão doentes", diz Maria Célia. Nascimento acrescenta que pausas entre o estudo de matérias diferentes são decisivas para a compreensão do conteúdo. "O aluno deve fazer pausas de até cinco minutos quando terminar de estudar uma matéria e começar outra. Se estudar tudo de uma vez ele não absorverá o necessário", opina ele.

O que priorizar na semana de provas?

Quando chega a semana de provas da escola é que vem a dúvida: o que priorizar? O pior é que quase sempre essa dúvida gera o desespero: "não vai dar tempo!" Na opinião de Nascimento, o estudante não deve deixar para estudar na semana de provas, mas se organizar para saber os conteúdos e, na última hora, apenas revisá-los para não acumular matéria. "O que é dado tanto na escola como no cursinho deve ser estudado no mesmo dia. Assim, na semana de provas, o aluno só precisa revisar o conteúdo", aconselha.

Na opinião da professora da UFRGS, mesmo que tenha se preparado ao longo dos meses, na semana de provas da escola, o estudante deverá se concentrar no Ensino Médio. Essa semana servirá para revisar os conteúdos e responder a tudo o que for pedido. Assim, o estudante evita o risco de comprometer seu rendimento no final do ano. "Se o aluno sempre prioriza o cursinho e o vestibular seu desempenho na escola cai. Há casos de alunos que fazem o vestibular ainda pendurados nas recuperações da escola e sem a certeza de que vão concluir o Ensino Médio", lembra.

Adaptar o tempo 

A estudante Laís Theodoro de Lima Bolló, de 16 anos, trabalha durante o dia, estuda no período da noite e faz cursinho aos sábados. "Estudar muito é a solução para aumentar minhas chances de ingressar numa universidade pública", explica ela. Laís diz que presta atenção nas aulas e estuda aos domingos. "Uso os domingos para fazer os trabalhos da escola e colocar as matérias em dia".

Quando surgem dúvidas, Laís recorre aos professores da escola, ao plantão de dúvidas que o cursinho oferece e pergunta também para as amigas que têm mais facilidade nas matérias. "Muitas vezes minhas amigas me explicam com uma linguagem que entendo melhor", diz.

O horário apertado impede que a estudante tenha um esquema de estudos rígido, mas consegue rever os conteúdos diariamente porque trabalha perto de seu colégio. "Tenho aproximadamente uma hora por dia em que posso estudar alguma matéria ou adiantar um trabalho. Na semana de provas, esse tempo é destinado para fazer a revisão do que já aprendi", conta a estudante.

Para a professora Maria Célia, Laís está no caminho certo. "Na semana de provas, o foco deve ser a escola. O aluno deve encarar o cursinho como um complemento, pois a matéria da escola não deve ficar acumulada. O ideal é que o aluno apenas revise o que estudou para não ficar tão cansado", explica.

veja também