MENU

Expansão de institutos técnicos deve priorizar desenvolvimento regional, diz Haddad

Expansão de institutos técnicos deve priorizar desenvolvimento regional, diz Haddad

Atualizado: Quinta-feira, 8 Janeiro de 2009 as 12

Diante da perspectiva de criação de 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, o ministro da Educação, Fernando Haddad, destacou que a orientação da pasta é que o desenvolvimento regional seja tratado de maneira prioritária para a consolidação do projeto. A finalidade do governo é aumentar o número de vagas em cursos técnicos de nível médio, em licenciaturas e em cursos superiores de tecnologia com a construção dos institutos.

Ele garantiu que, antes mesmo do início do funcionamento dos cursos, os diretores dos institutos devem ouvir as comunidades e ao setor produtivo local. ''Para que esses cursos sejam definidos à luz das necessidades locais, pensando no futuro da região, e para a educação antecipar uma dinâmica econômica'', disse, após participar de entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom dia, Ministro.

O projeto de lei que cria os 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia foi sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 29 dezembro de 2008. As instituições surgem da integração entre as escolas técnicas, agrotécnicas e centros federais de educação tecnológica (Cefets), que agora serão unidos por uma política pedagógica comum.

A promessa do governo federal é de começar o projeto com 168 unidades, e a meta é chegar a 2010 com 311, além de ampliar o número de vagas de 215 mil para 500 mil. De acordo com Haddad, 80 deles já estão com as licitações prontas e com as obras em andamento. ''Em todo o mundo a educação profissional é valorizada. Nem todo jovem quer a educação superior. O Brasil chegou a proibir, em 1997, a expansão de escolas técnicas, mas nossa perspectiva é que 2009 seja um grande ano para a educação profissional'', afirmou.

Os institutos fazem parte do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e terão autonomia para criar e extinguir cursos e também registrar diplomas dos cursos oferecidos, nos limites de sua área de atuação territorial.

veja também