MENU

Faculdade de Direito da USP paralisa aulas nesta sexta

Faculdade de Direito da USP paralisa aulas nesta sexta

Atualizado: Sexta-feira, 14 Maio de 2010 as 10:15

Alunos da Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo) prometem parar as aulas nesta sexta-feira (14), devido aos problemas ocorridos com a biblioteca da instituição. O acervo havia sido transferido para um prédio anexo, no centro da capital paulista, que não possui condições de abrigar os livros. A afirmação é do Centro Acadêmico 11 de Agosto, que representa os estudantes da faculdade. Houve vazamento de água sobre caixas com as obras, que ficaram encharcadas.

Maria Fernanda Monteiro, diretora de cultura do centro acadêmico, afirma que o reitor João Grandino Rodas assinou portarias transferindo a biblioteca para o edifício inacabado no último dia de seu mandato à frente da faculdade. São 160 mil obras que estão guardadas em caixas e não podem ser acessadas pelos estudantes há mais de três meses, diz a aluna.

- O diretor da faculdade, Antonio Magalhães, baixu uma norma recentemente para trazer de volta à biblioteca original metade dos livros encaixotados. Entretanto, na última sexta (7) ele passou mal e foi substituído pelo vice, Paulo Casella, que tentou impedir a volta das obras.

A paralisação, diz ela, é contra o vice-diretor da faculdade e o reitor. O R7 tentou contato com Antonio Magalhães e Paulo Casella, sem sucesso.

Sem condições

O MPF (Ministério Público Federal) já havia constatado problemas na transferência da biblioteca no dia 30 de março, e afirmou que o acervo está em risco.

Durante a visitoria ao local, no meio de março, o MPF diz ter encontrado 160 mil livros colocados em pilhas de caixas de papelão. O peso das caixas, uma sobre as outras, coloca em risco o estado dos volumes das obras. Segundo a diretoria da faculdade. O ministério afirma que a empresa contratada para fazer o serviço não possui preparo para o transporte desse tipo de material, uma vez que foram encontradas caixas rasgadas e amassadas.

Além disso, a ausência de bibliotecários na mudança e a falta de organização dos volumes por prateleiras atrasam o trabalho e o acesso das obras aos alunos e aos pesquisadores.

Uma assembleia geral de estudantes está convocada para terça-feira (18), afirma Maria Fernanda Monteiro.

veja também