MENU

Faculdade de Minas Gerais oferece curso de cambista

Faculdade de Minas Gerais oferece curso de cambista

Atualizado: Sábado, 19 Março de 2011 as 8:47

Centro educacional também tem aulas para deputados, senadores, prefeitos, além de cursos sobre maconha, LSD, panificação e confeitaria, farmacia [sic], normas ISO, raças leiteiras, arte e artesanato, jornalismo, entre outros

Escolher a carreira é, muitas vezes, uma decisão difícil. Uma opção no mínimo curiosa é o curso sobre como funciona o trabalho de cambista. As aulas, que podem atrair um público diversificado, são dadas pela Faculdade Internacional de Cursos Livres.

Mas sem muita empolgação: a escola não é credenciada pelo MEC (Ministério da Educação) e pode até perder a palavra “faculdade” do nome, se o ministério entrar com medidas contra a instituição.

O centro educacional também tem aulas sobre como ser senador, como ser deputado, sobre maconha, LSD (tipo de droga alucinógena), panificação e confeitaria, farmacia [sic], normas ISO, raças leiteiras, arte e artesanato, jornalismo, entre outros. A variedade é tão grande que há, pelo menos, 79 cursos listados no grupo de “básico”, que abrangem todas as áreas: humanas, biológicas, exatas.

Coveiro

Outro curso oferecido pela instituição é o de coveiro. O profissional vai aprender, com as matérias oferecidas no módulo 2, como preparar sepulturas, como limpar o interior de covas já existentes, como carregar e colocar o caixão na cova aberta, como manter jazigos e covas limpos e como realizar a cremação do cadáver, entre outras coisas. O preço foi reduzido de R$ 1.000 para R$ 300, mediante desconto. O valor é igual para o curso de cambista.

A "sede mundial" da instituição fica em Ituiutaba, interior de Minas Gerais. O R7 tentou falar com os responsáveis pela Faculdade de Cursos Livres, mas, apesar de deixar recados, não obteve retorno.

O site deixa claro, em letras pequenas, que os diplomas não são reconhecidos pelo MEC. "Emitimos apenas certificados e os certificados por si só não dão direito ao exercício da profissão. Isso vai escrito no certificado".

Cambista vende ingresso para jogo em Recife, em Pernambuco. Crédito: Gazeta Press

Propaganda enganosa

O ministério informou que, como se tratam de cursos livres, não tem como fiscalizá-los. No entanto, a pasta ressalta que “o fato de a instituição utilizar o nome de “faculdade” pode induzir os estudantes ao equívoco”, em opinião registrada em nota oficial.

- Por isso, o Ministério da Educação irá notificar a instituição para que adote as providências necessárias no sentido de deixar de utilizar tal nome, assim como será encaminhada comunicação aos órgãos responsáveis pela Defesa do Consumidor [como o Procon], para que adotem as medidas cabíveis em relação à possível propaganda enganosa.

A Faculdade Internacional de Cursos Livres também afirma oferecer especialização e MBA, doutorado, mestrado e diplomas, como PhD (pós-doutorado).

Aulas

O curso sobre cambistas oferece um leque de aulas diferenciadas: como os profissionais atuam na porta de estádios; na porta das baladas; na porta dos bares; como funciona o lucro na profissão, entre outras.

Além disso, há módulos com nomes inusitados: "Com o tempo os cambistas começaram a ser chamados de banqueiros"; "Como qualquer empresário o cambista é um oportunista"; "Seu objetivo é comprar ingressos a um preço x e depois vender a um preço x + y"; "Como todo negociante, ele [o cambista] tenta maximizar o lucro".

O último módulo também conta com a seguinte matéria: "Cambista é uma profissão que é criada pela mão invisível". A disciplina faz referência a uma das regras do capitalismo, a chamada "mão invisível", criada no século 18 - que diz que o mercado se autorregula.

Esse talvez seja o curso menos recomendado, já que a página é cheia de erros de gramática. A loja virtual, por exemplo, vende por R$ 100 certificados de conclusão com o verbo no futuro. "Este certificado e [sic] conferido aos alunos que obterão [sic] um aproveitamento de 90% do curso".

Valores

O preço das aulas varia de acordo com o nível: para o básico, a promoção que está em vigor cobra R$ 300, no lugar de R$ 1.000.

Os cursos de nível avançado: MBA, extensão e especialização, por exemplo, saem por R$ 900. Quem quiser fazer um mestrado que não é reconhecido pelo Ministério da Educação vai desembolsar R$ 1.500. Para doutorado, o preço sobe para R$ 2.100, e um título de PhD à distância custa R$ 2.700.

veja também