MENU

Falta de professores faz alunos saírem mais cedo de escola em Campinas

Falta de professores faz alunos saírem mais cedo de escola em Campinas

Atualizado: Terça-feira, 8 Junho de 2010 as 7:47

Alunos da Escola Municipal de Ensino Municipal (Emef) Correa de Mello, em Campinas, no interior de São Paulo, são dispensados mais cedo das aulas todos os dias por falta de professores. Segundo os pais, o problema ocorre desde o início do ano letivo.

A Prefeitura de Campinas confirma que há seis professores afastados, por isso o quadro, composto por 46 docentes, está afetado.

Na semana passada, pais e alunos fizeram uma manifestação na frente da escola para exigir providências da prefeitura. Eles alegam que o número de docentes afastados é maior: são sete. No ato, estudantes levaram cartazes com as frases ''Onde estão os professores?'' e ''Queremos professores!'' e ''We want english teacher'' (queremos professor de inglês).

O professor Edson Dias dos Santos, de 38 anos, é pai de uma aluna de 11 anos, matriculada no 6º ano da Correa de Mello. ''Tem dia que ela não tem nenhuma aula. Em dias bons, tem só três, mas sempre sai antes do horário previsto. Há uma preocupação grande na hora da saída porque nós, pais, não temos mais controle se nossos filhos estão na escola ou na rua''.

Santos contou que os professores em atuação estão sobrecarregados e doentes, por isso é comum faltarem. ''Eles têm de dar duas aulas em salas diferentes de uma só vez. Fica difícil.''

O funcionário público Tanio Rodrigues Alves, de 42 anos, tem dois filhos na escola, no 6º e 9º ano. ''O do 6º ano tem no máximo três aulas por dia, de um total de seis. A falta de conteúdo vai fazer falta no futuro e isso é o que mais preocupa.

A Secretaria Municipal de Educação de Campinas afirmou que dos seis professores ausentes, quatro estão afastados por tempo indeterminado, um está licenciado por 30 dias e outra está em licença-maternidade até o dia 27 de julho. A secretaria não disse desde quando estes docentes não dão aulas na Correa de Mello.

A Prefeitura afirmou que novos professores foram solicitados para ocupar as vagas e que o departamento de recursos humanos está no processo de recrutamento. Segundo ela, a expectativa é de que os problemas se resolvam nos próximos dias. As aulas serão repostas, de acordo com a prefeitura.

Por Vanessa Fajardo

Foto: Maurício Barbosa / EPTV.com

veja também