MENU

Fuja dos grandes erros na hora de escrever a redação

Fuja dos grandes erros na hora de escrever a redação

Atualizado: Quinta-feira, 26 Novembro de 2009 as 12

A redação costuma assustar a muitos dos estudantes na época do vestibular. Mas, garantem professores, se os candidatos seguirem algumas regras não haverá o que temer. Uma das mais importantes é respeitar o tipo de texto que pedem os examinadores - se dissertação ou narração - e, além disso, não fugir do tema.

Entre as próximas provas a pedir redação estão a do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontecerá nos dias 5 e 6 de dezembro; e segundas fases da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em 20 e 21 de dezembro, e Fuvest, em 3 de janeiro. Tradicionalmente essas provas são dissertativas, em prosa e podem pedir que o candidato escreva sobre temas da atualidade.

''O aluno deve ter em mente que não adianta ele ser o melhor do mundo em narração se a prova pede dissertação. Ele não pode de jeito nenhum fugir do gênero pedido'', diz Célia Passoni, coordenadora de português do curso Etapa. Ainda segundo Célia, ''escapar do tema é motivo para zerar''. Maria Theresa Fraga Rocco, diretora da Fuvest, lembra que já houve casos de alunos que não sabiam desenvolver o tema proposto e se desviaram do assunto. ''Aí mora o perigo'', alerta.

''Também é fundamental que o texto tenha coerência. Se o candidato põe sua opinião sobre algo, tem que justificá-la. E se aponta 'quatro problemas' enquanto está justificando alguma coisa, ele tem que citar quais são esses quatro [problemas] e não apenas dois'', exemplifica Maria Theresa. Escrever versos ou citações apenas porque são frases bonitas também são prejudiciais se não estiverem em linha com as ideias do texto.

Para evitar problemas de coerência, os professores ouvidos pelo G1 ensinam a fazer um planejamento antes de escrever. É recomendável fazer uma espécie de rascunho, pensando na estrutura: o que vai ser dito primeiro, ligando a sequência de ideias. Em linhas gerais, o texto deve ter começo, meio e fim, ser coerente e, de preferência, sem erros gramaticais. Outra dica fundamental é não usar gírias ou linguagem coloquial.  

Mais um pecado mortal é escrever poesia se a prova pede o texto em prosa. ''Já houve casos, em anos anteriores, de alguns alunos insistirem em escrever em poesia. Ele vai ser penalizado porque a prova simplesmente nem é corrigida'', diz o professor de português e literatura do curso de pós-graduação da Unesp, do campus de São José do Rio Preto, Rogério Chociay.

Criatividade e garranchos

O professor Rogério, da Unesp, também avisa para ter cuidado com o excesso de criatividade. Ele diz que já houve caso de um candidato que escreveu um texto só com onomatopeias (imitação de um som utilizando um fonema, por exemplo: piu piu). Se a intenção era chamar a atenção do examinador, o estudante não foi feliz. ''Não está em jogo a criatividade, mas a opinião e capacidade de o candidato escrever de maneira clara sobre um tema que ele conheça'', diz.

Além disso, o estudante deve escrever de maneira legível para que a pessoa que vai corrigir a prova compreenda bem o que o aluno quis dizer. O candidato deve lembrar, ainda, que só deve usar palavras as quais conheça com certeza o significado. Vale conferir no manual do candidato se a redação deve ser escrita a caneta e se haverá tempo extra para passar o texto a limpo.

Rogério acrescenta que há tolerância em relação a nova ortografia. "Além disso, houve mudanças em apenas 4% das palavras", acrescenta.

''Pecados'' da Redação

Fugir do Tema: É motivo para tirar zero. Desrespeitar o gênero: Se o pedido é dissertativo, use esse estilo; se o pedido é prosa, não escreva poesia. Querer escrever ''bonito'' sem conhecer o significado da palavra: Prejudica a coerência do texto. Usar gírias ou termos coloquiais: Use o padrão da língua para escrever. Erros Gramaticais: Cuidado com concordância, regência e ortografia. Escrever de forma ilegível: É muito perigoso; o corretor pode fazer interpretações erradas do texto. Não desenhe, nem faça um texto inteiro usando usando onomatopeias para tentar inovar: A opinião e a capacidade de desenvolver um texto coerente são as características em jogo. Falta de coerência: Dizer que concorda com algo e não justificar essa opinião, por exemplo

veja também