MENU

Gêmeas são cadastradas como uma só pessoa em escola de SP

Gêmeas são cadastradas como uma só pessoa em escola de SP

Atualizado: Quarta-feira, 16 Junho de 2010 as 3:47

Vanessa Boeno Said tem duas filhas gêmeas idênticas, Suzana e Samira. Desde o começo do mês, a mãe tenta matricular as crianças em uma escola pública e encontra dificuldades. O problema é que o sistema da Prefeitura de São Paulo registra as duas crianças como se fossem uma só.

Sem saber como resolver esse problema, Vanessa procurou a reportagem do SPTV para tentar achar uma solução.

Como não tem como decidir qual filha fará a pré-escola e qual ficará em casa sem estudar, Vanessa decidiu revezar. As gêmeas de cinco anos vão à escola em um dia da semana.

As gêmeas acordam 6h30, tomam café e correm para a Escola José de Alencar, na Vila Curuçá. No dia que a reportagem do SPTV visitou a família, era dia da Suzana ir para a escola. Samira ficou em casa, sem estudar. ''A Suzana entrou e eu fiquei triste. Queria ficar na escola'', conta a outra gêmea.

''É bem difícil para uma mãe ter que fazer a seleção de pessoas dentro da própria casa, se tratando dos filhos'', fala a mãe.

Vanessa explica que a dificuldade para conseguir matricular as gêmeas começou em 2008, repetiu em 2009 e em 2010 também. Até maio, as meninas estudavam em outra escola, na Zona Norte. A família precisou se mudar para a Zona Leste e o problema ressurgiu.

''Eles dizem que o sistema leu o cadastro delas como duplicidade e eu não sei como, porque até CPF eu já tirei pra elas. A instrução que eu tive era de desistir da vaga. Eles iam cancelar o cadastro das duas, começar tudo de novo e as duas ficaram sem escola. Então, não aceitei'', explica Vanessa.

Para quem as duas frequentem a escola, a mãe tomou uma decisão arriscada. ''No ano passado eles me fizeram desistir da vaga pra Suzana e esse ano eu disse que não ia desistir. Decidi que ia mandar as duas na mesma vaga. Vou intercalar, um dia para cada. A Suzana vai de segunda e quarta, a Samira vai de terça e quinta e na sexta-feira uma semana para cada'', disse.

Livro de ocorrência

A reportagem do SPTV foi feita na segunda-feira (14), dia da Suzana. Na terça-feira, dia da Samira, a mãe avisou a escola sobre a troca. Na hora da chamada, a Samira não respondeu e a Suzana levou falta. Quando a mãe foi buscar a menina, ela foi repreendida pela coordenação e teve que assinar um livro de ocorrência.

Vanessa afirma que vai manter o revezamento das filhas até o fim da semana, como forma de protesto. Ela já procurou o Conselho Tutelar, o Ministério Público e a Diretoria de Ensino da Prefeitura e diz que ninguém resolveu nada.

Nota da secretaria da Educação

A Secretaria da Educação não quis dar entrevista e enviou uma nota. O órgão reconhece que houve um erro no cadastramento da Samira, lamenta profundamente o que aconteceu e pede desculpas a Vanessa.

Segundo a secretaria, o problema foi causado porque um funcionário que atendeu a mãe das gêmeas quando ela se mudou para a Zona Leste não recuperou os dados do cadastro que Vanessa já tinha na Prefeitura. A secretaria diz que vai apurar o erro e que está resolvendo o problema. As duas meninas terão vagas garantidas nos próximos dias.

veja também