MENU

Governo de São Paulo oferece 500 bolsas de pós

Governo de São Paulo oferece 500 bolsas de pós

Atualizado: Sexta-feira, 19 Junho de 2009 as 12

O Governo de São Paulo oferece 500 bolsas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) para professores, diretores e supervisores pertencentes à rede da Secretaria da Educação do estado. Interessados podem se candidatar até dia 15 de julho, exclusivamente pelo site da CENP (Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas) da Secretaria de Educação do Governo de São Paulo . Segundo o coordenador da CENP, Pedro Bernardes Magalhães, a iniciativa visa contribuir para a melhoria da qualidade do ensino público paulista. "Entendemos que quanto maior a qualificação do professor, melhor será sua contribuição para o aumento da eficiência da educação - que é uma missão do setor público", afirma ele.

Para obter o benefício é preciso comprovar admissão num curso de mestrado ou doutorado, da rede pública ou privada, reconhecido pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). O programa deve estar relacionado à disciplina do cargo exercido ou à área da educação. Educadores que já cursam um programa de pós-graduação, em nível de mestrado ou doutorado, também poderão inscrever-se para participar do programa. No entanto, somente depois de dois anos da obtenção do título de mestre, os professores poderão requerer o incentivo para cursar pós-graduação em nível de doutorado.

Não será permitida a participação de profissionais com aposentadoria prevista para os próximos cinco anos, quando se tratar de curso de mestrado, e para os próximos nove anos, para os cursos de doutorado. Os funcionários que tenham sofrido qualquer penalidade administrativa e que já participem de qualquer outro tipo de programas de bolsa serão automaticamente desclassificados do concurso.

O comprovante de admissão na pós-graduação e a ficha de inscrição devem ser entregues via sedex ou diretamente na Diretoria de Ensino na qual o candidato trabalha. O processo seletivo, de acordo com Magalhães, é composto por duas etapas: análise do perfil dos candidatos e avaliação dos projetos de pesquisas e dos currículos dos orientadores. "Os financiamentos serão destinados aos professores que desenvolverem trabalhos relacionados à licenciatura a qual estão vinculados e que propiciem o desenvolvimento de atividades que possam ser desenvolvidas dentro de sala de aula com os alunos", explica o coordenador. Ele também aponta a compatibilidade do trabalho com o curso como um fator de relevância na seleção.

Os aprovados receberão ajuda de custo de R$ 790 mensais. Na opinião de Magalhães, apesar de os benefícios não corresponderem ao valor integral de um programa de pós-graduação, o auxílio é substancial. "Em alguns casos, representa mais de 50% do salário de um professor", declara ele. O servidor que conseguir o benefício deverá concluir o mestrado em até 24 meses, prorrogáveis por mais seis. A bolsa para o doutorado tem validade de 48 meses, prorrogáveis por mais seis meses.

Para garantir que o beneficiado não deixe do sistema público de ensino depois da conclusão do programa de pó-graduação, os professores participantes deverão se comprometer a permanecer no magistério público estadual por pelo menos o mesmo período em que receber a bolsa. "Aqueles que por algum motivo descumprirem o acordado, terão de devolver o investimento realizado aos cofres do governo", assegura Magalhães.

veja também