MENU

Governo recebe terrenos para a construção de escolas técnicas

Governo recebe terrenos para a construção de escolas técnicas

Atualizado: Segunda-feira, 25 Agosto de 2008 as 12

Segundo o plano de expansão da rede federal da educação profissional e tecnológica, cinco escolas técnicas terão sido construídas até 2010 no Distrito Federal. O ministro da Educação,  Fernando Haddad, e o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, assinaram nesta quinta-feira, 21de agosto, em Brasília, o protocolo de intenções que formalizou a doação dos terrenos das unidades do Plano Piloto, na Asa Norte, e de Taguatinga.

As outras escolas serão instaladas no Gama e em Samambaia - a unidade de Planaltina já está em funcionamento. As cinco escolas integrarão o  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília, com sede na futura unidade do Plano Piloto.

O ministro acredita que com a doação dos terrenos pelo GDF e feita a licitação para a construção das unidades, as obras começam imediatamente. ''Das 150 escolas técnicas anunciadas no lançamento do Plano de Desenvolvimento da Educação, nós já licitamos 104'', comemorou. Pelas previsões, as escolas estarão prontas até 2010. Mas, segundo Haddad, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, pretende inaugurar a maioria em 2009, nas comemorações do centenário da rede federal de educação profissional e tecnológica. Em 1909, a primeira escola técnica foi construída no governo de Nilo Peçanha.  

O governador Arruda acredita que a construção das escola em Brasília ajudará a superar o desafio por mão-de-obra qualificada. O problema, segundo ele, não é o desemprego, mas a falta de formação profissional de qualidade frente à demanda da região. ''Faltam armadores, faltam azulejistas, que hoje só trabalham por empreitada para quem paga mais'', exemplificou.

O diretor da escola técnica de Brasília, Francisco Monteiro, afirmou que a carência de técnicos na capital federal é grande. ''Só na área de tecnologia, a demanda é por 400 profissionais'', calculou. De acordo com Francisco, a relação de técnicos por engenhieros no país é desequilibrada. ''Enquanto no mundo há 18 técnicos por engenheiro, no Brasil essa relação é invertida. Há 18 engenheiros por técnico'', comparou.

Na visão do ministro, o país vive um momento ímpar, no qual investimentos em educação são atrelados ao desenvolvimento econômico. De acordo com Haddad, o Brasil já passou por muitos momentos de crescimento econômico, mas sem grandes preocupações com a formação da população. ''O que muda o patamar do desenvolvimento é o investimento em educação'', disse.

Com a expansão da rede federal para o interior, destacou Haddad, é possível oferecer acesso à educação de qualidade a mais pessoas. ''Serão quatro milhões de brasileiros mais bem atendidos'', ressaltou o ministro, em referência às cinco escolas que atenderão as populações do Distrito Federal e do Entorno.

Sede

O projeto arquitetônico da sede do instituto de Brasília, no Plano Piloto, pretende ser referência nacional ao investir em acessibilidade e sustentabilidade. Numa área de 40 mil metros quadrados, haverá prédios interligados por rampas e elevadores para facilitar o deslocamento de alunos com deficiência. Um sistema específico permitirá refrescar os ambientes e elevar a umidade nos períodos mais quentes e secos. Para a época chuvosa, o projeto prevê a construção de reservatórios de captação de água destinados a   abastecer piscinas e descargas e a irrigar jardins.

veja também