MENU

Graduação a distância não pode ser totalmente virtual, dizem reitores

Graduação a distância não pode ser totalmente virtual, dizem reitores

Atualizado: Sexta-feira, 4 Junho de 2010 as 4:20

Mesmo com o avanço de recursos tecnológicos, a educação superior ainda exige a presença do aluno em algum ponto do processo. ''Pelo menos as provas devem ser presenciais'', afirma Juan Gimeno, reitor da Uned (Universidade Nacional de Educação a Distância), uma instituição de EAD (ensino a distância) que funciona há 35 anos na Espanha. ''Afinal, precisamos dar confiabilidade à avaliação.'' Com exceção dos exames, Gimeno afirma ser ''perfeitamente possível'' fazer um curso somente a distância.

Já Yoloxochitl Bustamante Díez, reitora do IPN (Instituto Politécnico Nacional) mexicano, acredita que os universitários precisem de contato com tutores e monitores para se manterem plugados na graduação. ''Um curso totalmente virtual só é possível para alunos mais velhos'', diz. Os mais jovens, diz ela, ''necessitam de presença real, apesar de serem os mais conectados às tecnologias''. Além disso, a natureza do curso influencia o grau de ''virtualização''.

Em sua experiência, Yoloxochitl observou que as carreiras de humanas se prestam mais à EAD. Graduações que precisem de laboratórios e experimentos não se prestam à uma virtualização total. ''Cursos de exatas, carreiras tecnológicas pedem atividades presenciais porque os alunos precisam olhar, tocar, ter vivência real [de alguns experimentos em laboratórios]'', disse.

Preconceito em queda

Para Gimeno, que conduz uma insituição tradicional nessa modalidade de ensino, não há preconceito com os egressos de EAD. Pelo contrário: ''na Espanha, há quem valorize nossos alunos por sua formação e, ainda, por sua força de vontade e capacidade de organização'', disse o reitor.

O reitor da UFFS (Universidade Federal da Fronteira do Sul), Dilvo Ristoff, concorda que o tabu com esse tipo de ensino está diminuindo dia a dia. ''Fiz um levantamento em 2006 com dados do Enade [Exame Nacional de Desempenho de Estudantes] e os alunos da modalidade a distância tinham desempenho semelhante ou melhor que os alunos do presencial'', contou.

Por Karina Yamamoto

veja também