MENU

Mais aulas na rede pública podem reduzir desigualdade, diz Haddad

Mais aulas na rede pública podem reduzir desigualdade, diz Haddad

Atualizado: Sexta-feira, 16 Setembro de 2011 as 2:12

O ministro da Educação, Fernando Haddad, no

programa 'Bom Dia Ministro' desta sexta (16)

(Foto: Agência Brasil)

  O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou nesta sexta-feira (16) que estudos feitos pelo governo indicam que o aumento da carga horária da escola pública pode reduzir as desigualdades em relação às escolas particulares.

Segundo ele, resultados de uma pesquisa feita pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República serão apresentados aos secretários municipais e estaduais de educação na semana que vem.

"Uma das coisas que verificamos é que os alunos da escola particular ficam mais tempo na escola do que a escola pública. Há uma desvantagem relativa. A pública, na melhor das hipóteses, tem 800 horas por ano e a particular tem 25% mais tempo que isso. O secretário-executivo da Secretaria de Assuntos Estratégicos liderou um grupo que pesquisadores que mapeou a literatura internacional sobre qualidade e uma das conclusões é que o número de dias letivos e o numero de horas por dia tem impacto muito grande na qualidade", afirmou o ministro no programa "Bom Dia Ministro", transmitido pela TV estatal NBR.     Abismo

Reportagem publicada pelo G1 nesta sexta-feira mostra que a maior diferença entre as notas das escolas públicas e privadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010 é em matemática. Levantamento feito com os números divulgados nesta segunda-feira (12) pelo Ministério da Educação mostra que enquanto os colégios da rede particular tiveram média de 600,21 pontos nesta disciplina, os públicos alcançaram 509,67. As médias foram obtidas somando-se as notas das escolas e dividindo o resultado pelo número de instituições envolvidas.

Durante o programa "Bom Dia Ministro" desta sexta, Haddad disse que "a distância entre a rede pública e a privada é grande, mas tem diminuído". "A distância existe porque a pública recebe alunos de todas as camadas sociais, pais com escolaridade, pais sem escolaridade. A comparação é sobretudo em razão do financiamento ser diferente. A particular investe de três a fez vezes mais por aluno e a comparação deve servir para nos estimular a superar esse gargalo. A diferença existe, mas vem diminuindo e temos que continuar."

Para ele, existe uma "tendência de diminuição das desigualdades educacionais no país".          

veja também