MENU

Melhor colégio da Bahia no Enem tem histórico de bom desempenho

Melhor colégio da Bahia no Enem tem histórico de bom desempenho

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 10:11

Colégio está entre os dez melhores há cinco anos

(Foto: Reprodução/TV Subaé)

  Não é a primeira vez que os estudantes do Colégio Helyos, em Feira de Santana, alcançam bons resultados na avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A instituição obteve o primeiro lugar na avaliação do Exame em 2010 no estado da Bahia e nos quatro anos anteriores, ficou entre os dez primeiros colocados no ranking nacional das provas. A média de 679,71 garantiu o primeiro lugar no ano passado. Participaram da prova 57% dos alunos.

O Ministério da Educação mudou o critério de divulgação das notas por escola do Enem. Foram criadas quatro categorias de acordo com a porcentagem de participação na prova realizada em 2010:

Grupo 1: de 75% a 100% (17,8% das escolas)

Grupo 2: de 50% a 74,9% (20,9% das escolas)

Grupo 3: de 25% a 49,9% (33% das escolas)

Grupo 4: de 2% a 24,9% (27,4% das escolas)   De acordo com a nota técnica divulgada pelo MEC, não se deve misturar as categorias para comparação de desempenho entre as escolas. As escolas que tiveram menos de 2% de participação não foram consideradas. De acordo com o MEC, a média de participação dos estudantes no Enem 2010 foi de 56,4%.

Feira de Santana fica a cerca de 100 Km de Salvador e é a segunda cidade maior cidade do estado. O Colégio Helyos funciona há 19 anos e possui atualmente cerca de 800 alunos matriculados no 1º e 2º graus. Segundo a coordenadora pedagógica, Patrícia Moldes, não há uma preparação específica para o Exame e o bom resultado alcançado é consequência de um trabalho diário realizado há muitos anos com os alunos.

Coordenadora pedagógica e professor do Helyos

(Foto: Reprodução/TV Subaé)

  “A maioria deles estuda aqui desde pequenos. Além disso, para que cada aluno tenha um acompanhamento diferenciado, o número de estudantes por turma é limitado e a média de alunos por sala é de 27, e isso faz com que os professores fiquem mais próximos deles”, aponta a pedagoga.

O professor de biologia Filipe Nicolaj também ressalta a importância de manter os alunos na instituição. “Toda a base educacional da maior parte dos alunos foi feita na própria escola e eles já estão acostumados com o ritmo de estudos”, explica. O professor acrescenta que além do conteúdo tradicional, o colégio desenvolve outras atividades que proporciona aos estudantes, além de conhecimento, momentos agradáveis, como aulas de fotografia, xadrez, artes e danças.            

veja também