MENU

Ministro afirma que USP vai discutir cotas

Ministro afirma que USP vai discutir cotas

Atualizado: Sexta-feira, 27 Novembro de 2009 as 12

O ministro da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial, Edson Santos, afirmou durante audiência pública realizada nesta quinta-feira (26) na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado que o reitor eleito da USP, João Grandino Rodas, vai abrir discussões sobre adoção de política de cotas raciais na universidade.

De acordo com Santos, se a USP adotar as cotas, as universidades que ainda não aderiram à política podem mudar de ideia, pois a instituição paulista é referência no país:

''Só o fato de o reitor se mostrar sensível a essa discussão já é importante. E a USP, pela universidade que é, vai influenciar outras escolhas''.

O ministro afirmou que o Senado deve aprovar o Estatuto da Igualdade Racial em até duas semanas. O documento, além de oficializar a política de cotas raciais, determina a regularização de terras ocupadas por quilombolas (descendentes de escravos) e incentivos fiscais a empresas que tiverem em seus quadros pelo menos 20% de negros. O ministro criticou integrantes da academia que são contrários às cotas.

''Não é necessário polemizar a questão das cotas, causar terrorismo. Isso é uma falsidade teórica de doutores que promovem terrorismo''.

Edson Santos confirmou que foi procurado por dirigentes de emissoras de TV que solicitaram retirada do texto trecho que previa cota para negros em programas e novelas. De acordo com o ministro, essa nova versão do texto é menos "impositiva" e se adequa melhor à realidade brasileira.

veja também