MENU

Ministro Fernando Haddad vê acesso mais fácil à educação

Ministro Fernando Haddad vê acesso mais fácil à educação

Atualizado: Quinta-feira, 18 Setembro de 2008 as 12

A democratização do acesso à educação superior nos últimos anos foi destacada nesta quinta-feira, dia 18, pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. Em entrevista ao programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República, Haddad citou a ampliação dos investimentos na expansão das universidades federais e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que já ofereceu 385 mil vagas em cursos superiores a estudantes sem recursos para pagar uma instituição particular. ?Só com o programa de expansão e reestruturação das universidades federais, teremos mais R$ 2 bilhões até 2012?, salientou.

O Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) deve dobrar o número de vagas em instituições públicas no próximo ano. A intenção é que 30% da população de jovens — de 18 a 24 anos — esteja matriculada em cursos superiores em 2010. Atualmente, o percentual é de 11%.

Para cumprir a meta, Haddad citou, além do Reuni e do ProUni, a expansão da rede federal de educação profissional e tecnológica, a Universidade Aberta do Brasil (UAB) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). As recentes mudanças no fundo facilitam o empréstimo e o pagamento de bolsas de estudo em instituições particulares. Ainda este ano, serão oferecidas 120 mil bolsas pelo programa.

Os investimentos em educação superior devem ter reflexos na educação básica, já que grande parte dos recursos vai para a formação de professores do ensino fundamental e médio. Ao falar sobre o custo por aluno nas escolas públicas, Haddad defendeu um acréscimo de recursos. ?Evoluímos muito, mas investimos apenas R$ 150 por mês para os alunos da educação básica e sabemos que isso ainda é pouco?, disse.

Pólos

Haddad falou também sobre a expansão da rede federal de educação profissional e tecnológica. Ao longo de 93 anos de funcionamento, ela contava com 140 escolas. Até 2010, esse número deve chegar a 354. ?A orientação do governo federal é levar escolas técnicas ou expansões das universidades federais a todas as cidades com potencial para se tornarem pólos regionais?, esclareceu.

A expansão do acesso à educação superior e ao ensino profissionalizante faz parte, segundo Haddad, de um contexto geral de evolução qualitativa da educação brasileira. Com a criação do Fundo da Educação Básica (Fundeb), a complementação da União para essa etapa do ensino passou de R$ 500 milhões em 2003 para R$ 5 bilhões, valor que será  investido em 2009. ?Este ano, tivemos um orçamento de R$ 3,2 bilhões, o que já é seis vezes mais do que a União investia em 2003.?

Para garantir que não haja retrocesso, o ministro defendeu a manutenção, pelos futuros governantes, do compromisso de fazer tanto ou mais do que está sendo feito. ?Todos os 27 governadores e 5.563 prefeitos aderiram ao plano de metas do compromisso Todos pela Educação. Não podemos abortar esse processo de melhora?, disse.

veja também