MENU

MP instaura inquérito para investigar 'rodeio das gordas' em Araraquara

MP instaura inquérito para investigar 'rodeio das gordas' em Araraquara

Atualizado: Sexta-feira, 5 Novembro de 2010 as 11:13

O Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou inquérito civil nesta quinta-feira (4) na Promotoria de Justiça dos Direitos Humanos de Araraquara para investigar os casos de agressão a alunas batizado de 'rodeio das gordas', durante jogos universitários da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Araraquara. Os jogos ocorreram entre 9 e 12 de outubro.

O MP também requisitou a instauração de inquérito policial para a apuração da responsabilidade criminal dos agressores.

Segundo nota enviada pelo MP "serão adotadas todas as providências necessárias ao esclarecimento da questão, notadamente o desrespeito aos direitos humanos, a atenção às vítimas, a responsabilização dos agressores, dos organizadores e promotores do evento e, eventualmente da própria universidade."

A denúncia é de um grupo de estudantes teria agredido alunas em um jogo batizado por eles como "rodeio das gordas". Eles se aproximavam fazendo perguntas, como se fossem paquerá-las. Depois, agarravam as garotas, de preferência obesas, e tentavam ficar sobre elas o máximo de tempo possível, como se estivessem em um rodeio. Ao menos 50 estudantes teriam participado.

Os agressores usariam uma comunidade no Orkut para incentivar que os estudantes cronometrassem o tempo que mantinham a garota presa e para sugerir premiações para quem ficasse mais tempo sobre a menina. Há relatos de que os estudantes gritavam, dizendo "pula, gorda bandida".

A diretoria da Faculdade de Ciências e Letras do campus de Assis da Unesp abriu um processo disciplinar para investigar o caso.

Ato obsceno

O MP vai vai acompanhar as investigações feitas pela Polícia Civil de Araraquara que apura crime de ato obsceno cometido nos mesmos jogos. Imagens do evento feitas por telefones celulares e postadas na internet mostram alunas enfileiradas baixando calças, shorts e saias. As jovens ficam de calcinhas, algumas sem, rebolando e exibindo o corpo. Outros alunos filmam a cena, que se repete ao som de uma bateria e na contagem regressiva de 10 a 1.

As gravações foram feitas dentro de um ginásio de esportes em Araraquara e mostram uma espécie de "bunda-lê-lê". Nos títulos dos vídeos hospedados no Youtube, eles são batizados de "bundão".

veja também