MENU

Nota de corte cai em quase todos os cursos da Fuvest

Nota de corte cai em quase todos os cursos da Fuvest

Atualizado: Terça-feira, 8 Dezembro de 2009 as 12

Caiu ou se manteve igual a nota de corte em quase todos os 105 cursos do vestibular da USP (Universidade de São Paulo) deste ano, em comparação com a edição passada.

Segundo dados da Fuvest (fundação que realiza o vestibular da USP) tabulados pelo R7, Apenas dois cursos são exceção: controladoria, oferecido no campus de Ribeirão Preto, aumentou um ponto na nota de corte; e engenharia de biossistemas, em Pirassununga, teve elevação de 11 pontos.

Para o pró-reitor de graduação substituto da USP, Quirino Carmello, a diminuição ocorreu porque a Fuvest (vestibular da USP) deixou de usar a nota do Enem neste ano. O R7 já havia adiantado que deveria haver queda nesse ponto do processo seletivo.

Cinco carreiras não tiveram alterações na nota de corte em comparação com as duas edições do vestibular.

São elas: engenharia civil e matemática, em São Carlos; ciências da natureza, na USP Leste, em São Paulo; música, em Ribeirão Preto; e licenciatura em matemática/física, oferecida no campus da Cidade Universitária, no Butantã (zona oeste de São Paulo).

Em medicina, curso com a nota de corte mais alta, houve queda de três pontos - de 77, na edição passada da Fuvest, para 74 no vestibular atual. A carreira passou a ser dividida em duas neste ano - uma oferecida em São Paulo e outra em Ribeirão Preto, com o nome de ciências médicas. Em ambas, a nota de corte foi igual neste ano.

Outros seis cursos entre os mais difíceis de obter vaga no vestibular também tiveram queda, com exceção de engenharia civil em São Carlos, que se manteve estável - são necessários 61 pontos para ser aprovado.

Em engenharia aeronáutica, a nota de corte nesta edição do vestibular foi de 68 - quatro pontos a menos do que no ano passado (72). A mesma variação foi registrada para o curso superior de audiovisual, que passou de 67 pontos na nota de corte do ano passado para 63 na edição atual.

Os cursos de relações internacionais (nota de corte de 63 pontos neste ano), direito (60), jornalismo (60), design (57) e publicidade (57) também tiveram queda na pontuação exigida para passar da primeira fase.

Coordenador do cursinho Anglo, Alberto Francisco do Nascimento reforça a tese de que a queda se deve à desistência do uso do Enem na Fuvest:

''Sem o Enem, era esperado que a nota de corte de todas as carreiras diminuíssem''.

A redução foi abrupta em alguns cursos, como pedagogia - cuja nota de corte, neste ano, é de 23 pontos. São 15 a menos do que o exigido no vestibular do ano passado para a USP, quando a nota de corte era de 38 pontos.

Esse efeito pode ser atribuído à baixa qualidade dos concorrentes ou ao aumento das vagas em alguns cursos, afirma o pró-reitor substituto da USP:

''Se os candidatos forem mais fracos, a nota de corte cai''.

Segunda fase

A pontuação da nota de corte é pré-requisito para o estudante ser aprovado para a segunda fase do vestibular da USP.

As listas de convocados e dos locais de exame para a segunda fase saem no dia 14 de dezembro. As provas da segunda etapa serão realizadas nos dias 3, 4 e 5 de janeiro.

Serão três provas com questões dissertativas: uma de português e redação; outra de biologia, física, geografia, história, inglês, matemática e química; e a terceira, com duas ou três disciplinas específicas, conforme a carreira escolhida.

veja também