MENU

Novos ônibus escolares viajam 23 mil km e testam desempenho

Novos ônibus escolares viajam 23 mil km e testam desempenho

Atualizado: Terça-feira, 26 Maio de 2009 as 12

Trancos, barrancos, atoleiros e muita poeira. Isso é o que boa parte dos alunos da rede pública que mora em áreas rurais enfrenta todos os dias para chegar à escola. Técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Centro de Formação de Recursos Humanos em Transportes da Universidade de Brasília também encaram essas adversidades durante a avaliação do desempenho dos novos ônibus do programa Caminho da Escola, que segue até o fim de junho em 14 estados brasileiros.

Criado em 2007, o programa tem o objetivo de renovar a frota de veículos escolares no Brasil, garantindo mais conforto e segurança aos estudantes. Em 2008, por meio do Caminho da Escola, quase 2.500 ônibus adaptados ao transporte de alunos de áreas rurais foram adquiridos por 1.300 municípios de todo o país. Este ano, os veículos sofreram modificações para melhorar a trafegabilidade em vias esburacadas e aumentar a segurança, e agora estão sendo testados. Desde 4 de maio, três equipes percorrem mais de 23 mil quilômetros nas cinco regiões para analisar a performance dos veículos.

As necessidades de correções evidenciadas nos testes são repassadas imediatamente aos fabricantes, para que os ônibus possam ser produzidos com essas adaptações. Mudanças maiores serão feitas nos próximos anos. “Durante os testes, os novos veículos transportam os estudantes nas rotas usuais e avaliam sua adequação a várias situações adversas, como pistas muito esburacadas, atoleiros, barrancos. Os resultados vão servir para aprimorar os ônibus”, afirma o coordenador do Caminho da Escola, José Maria Rodrigues de Souza.

Os testes já foram realizados em rotas de quatro municípios de quatro estados (SC, PR, ES e MT). Como em Vila Bela da Santíssima Trindade (MT), onde um grande atoleiro no meio da estrada impede a passagem do veículo de transporte escolar da prefeitura. Com isso, as crianças têm de caminhar parte do percurso para pegar a condução e seguir para a escola. Durante o teste, o novo ônibus passou pelo atoleiro, pegou os alunos mais perto de casa e ainda ajudou a puxar uma caminhonete que estava atolada, conta o coordenador do programa.

Até o fim de junho, os pesquisadores percorrerão outros 12 municípios em 11 estados (SP, MG, PB, PI, BA, CE, MT, MS, GO, TO e PA). As equipes se encontram no dia 29 de junho, em Brasília, para avaliação final do desempenho dos ônibus.

Ampliação - O programa Caminho da Escola consiste na aquisição de veículos padronizados para o transporte escolar por meio de pregão eletrônico para registro de preços realizado pelo FNDE. Existem três formas para estados e municípios participarem: com recursos próprios, bastando aderir ao pregão; via convênio firmado com o FNDE; ou por meio de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em 2008, foram comprados 1.150 ônibus com dinheiro do BNDES, 740 via convênios e 597 com recursos próprios.

A previsão para 2009 é chegar a sete mil veículos, num investimento de R$ 1,15 bilhão. Desse total, R$ 750 milhões são do BNDES; R$ 200 milhões, de emendas parlamentares; R$ 100 milhões, de recursos dos municípios ou estados; e outros R$ 100 milhões, do FNDE. Inicialmente, o Fundo dará preferência aos municípios prioritários do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) que ainda não foram contemplados.

Este ano, seis modelos estão à disposição dos interessados. Três são reforçados, ou seja, têm características especiais que conferem maior durabilidade e melhor trafegabilidade em pistas acidentadas.

veja também