MENU

Pernambuco têm 39 instituições com avaliação insatisfatória no Enade

Pernambuco têm 39 instituições com avaliação insatisfatória no Enade

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 10:32

Das 71 faculdades e universidades de Pernambuco que foram avaliadas pelo Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), 39 obtiveram 1 ou 2 no Índice Geral de Cursos (IGC), notas consideradas insatisfatórias pelo Ministério da Educação (MEC). Duas faculdades conseguiram conceito 4, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Nenhuma instituição conseguiu nota máxima no Estado.   A faculdade com a menor pontuação em Pernambuco foi a Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada, no Sertão, que obteve 0,85, nota arredondada para 1. De acordo com o diretor-presidente da faculdade, Pedro Melo, já foram tomadas providências para mudar esse quadro, como melhoria na preparação dos alunos e mudanças na infraestrutura da instituição. “Nós adequamos o quadro de professores às exigências do MEC, contratando mais professores mestres e doutores. No próximo Enade, vamos ter um desempenho melhor”, acredita Melo.

No Brasil, 1.828 instituições de ensino superior foram avaliadas ao todo, sendo que apenas 9 obtiveram conceito 1, e 674 ficaram com nota 2. Além do IGP, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira divulgou também o Conceito Preliminar de Curso (CPC), indicador que varia em uma escala de 1 a 5 e avalia os cursos. O curso mais bem avaliado do Estado foi o de Serviço Social da UFPE, que recebeu nota 5 em 2010.

Dos 4.143 mil cursos avaliados em 2010 pelo Enade em todo o país, 594 atingiram resultado insatisfatório, com nota 1 ou 2. O Ministério da Educação informou que pretende suspender 50 mil vagas em cursos superiores nas áreas de saúde, administração e ciências contábeis que tiveram notas abaixo de 3 no Índice Geral de Cursos (IGC).

Nos cursos com pior avaliação, o corte atingirá 65% das vagas oferecidas em 2010 e nos demais o corte será de 20%. O MEC ainda não informou quais instituições serão afetadas pela decisão. Os primeiros nomes devem ser publicados nas próximas semanas, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Educação Superior (Sesu).

veja também