MENU

Planejar estudos agora faz toda a diferença no vestibular

Planejar estudos agora faz toda a diferença no vestibular

Atualizado: Terça-feira, 8 Abril de 2008 as 12

No mês de março, muitos cursinhos pré-vestibulares iniciaram suas turmas de extensivo para estudantes que pretendem prestar os exames vestibulares de 2009. Grande parte desses cursinhos dura aproximadamente um ano. Eles são destinado a estudantes que escolheram começar a preparação para o teste desde cedo, em busca do melhor desempenho na hora das provas. O coordenador de Matemática do cursinho ''Etapa'', Edmilson Motta, reforça que é essencial estudar o quanto antes devido à extensão do vestibular.

"A programação dos estudos demanda tempo, se iniciar cedo, o vestibulando consegue organizar todo o conteúdo do Ensino Médio e revisá-los com mais tranqüilidade". Na opinião de Motta, muitos estudantes não compreendem a dimensão do vestibular e dela a necessidade de começar cedo o processo de preparação. Segundo Motta, não se aprende tudo que é preciso para encarar os vestibulares de última hora. "Só o tempo e a retomada trazem a compreensão e o domínio dos conteúdos", garante ele.

A estudante, Bruna Barboza Bezerra, de 19 anos, que pretende prestar vestibular para o curso de Medicina Veterinária, é uma das estudantes que decidiu começar a estudar desde agora para garantir bons resultados no final do ano. "Escolhi estudar desde o começo deste ano para distribuir melhor meu tempo durante os dias da semana, assim consigo me dedicar às matérias tanto no cursinho, no período das aulas, quanto em casa", explica Bruna.

Na visão do coordenador é importante começar a estruturar os estudos para garantir maiores chances de aprovação. Não que os alunos que optem por cursinhos mais adiante tenham menos chances do que aqueles que começaram agora. Mas para esses que vão encaram o cursinho mais tarde, é necessário maior base adquirida no Ensino Médio. "Se o aluno tiver condições de se dedicar durante um ano no curso extensivo, por exemplo, o aprendizado dele será melhor devido à carga horária de estudos. Outras opções de cursinhos pré-vestibulares como as turmas de maio, semi-intensivo e intensivão se enquadram melhor para as pessoas que já possuem uma ótima base de conhecimentos e precisam revisar o conteúdo", afirma Motta.

Na opinião do coordenador de Matemática do cursinho Etapa, tanto o estudante que freqüenta um curso pré-vestibular quanto o que estuda por conta própria devem ter um plano de estudos para não estudar de maneira errada. "Planejar o que será estudado parece algo simples, mas deixa de ser quando não é bem executado. A pessoa que vai prestar vestibular precisa estudar as matérias do dia e dividi-las durante a semana, dessa forma há mais dimensão do conteúdo e espaço para todas", orienta Motta.

Em sua empreitada pré-universitária, Bruna segue à risca o que Motta aconselha. A estudante, que além de seguir um plano de estudos que ela mesma organizou, faz atividades paralelas que a ajudam na compreensão do conteúdo. "Busco atividades que estão relacionadas com os temas dados em aula. Freqüento exposições de obras obrigatórias, leio livros e revistas e assisto filmes".

De acordo com Motta, o lazer que fica menor durante este período, pode ser substituído por atividades culturais que, além de contribuírem com o aprendizado pré-vestibular, dão prazer à pessoa. Isso vai depender da escolha do estudante por atividades que ele goste, como, por exemplo, exposições, peças de teatro, entre outras. "Leitura de jornais e revistas, filmes e idas ao teatro passam a ser sinônimo de lazer quando é algo que pode ajudar na evolução do estudante. Essas coisas são o passatempo ideal à medida que há uma mistura de descanso e ao mesmo tempo de conhecimentos", diz Motta.

Porém, o coordenador ressalta que além de ter um plano de estudos e freqüentar atividades paralelas, o vestibulando precisa ter uma boa base cultural para absorver os conteúdos passados tanto dentro da sala de aula quanto fora. "A evolução do aluno faz relação com a base de conhecimentos durante a vida escolar dele, quanto mais assuntos acumulados, mais preparo na hora de fazer a prova", declara Motta. A estudante Camila Gomes Darde, de 17 anos, concorda com a visão de Motta. Ela optou pelo curso extensivo a fim de aprimorar o que já aprendeu durante sua vida escolar e minimizar as dificuldades em algumas matérias. "Não entendo muito exatas, mas estudo todos os dias, freqüento plantões de dúvidas e converso com professores para não perder nenhuma explicação", conta a estudante.

veja também