MENU

Prédio de 132 anos da UFRJ apresenta situações de risco

Prédio de 132 anos da UFRJ apresenta situações de risco

Atualizado: Quinta-feira, 31 Março de 2011 as 9:28

Após o incêndio em um prédio da UFRJ na Praia Vermelha, na Zona Sul do Rio, na segunda-feira (28), um imóvel histórico da universidade, no Centro, apresenta situações de risco.

Na entrada do prédio de 132 anos do Hospital Escola, paredes são escoradas por estacas de madeira. No interior do local há fios expostos e paredes rachadas. Cerca de 70% da construção estão interditados.

Além do valor histórico, o Hospital Escola tem papel importante no serviço público de saúde, com programas de Aids, da terceira idade e de saúde da família.

A última grande reforma foi há quase 90 anos. As obras de restauração devem começar daqui a 60 dias. Apesar dos riscos que o prédio oferece, estudantes, funcionários e pacientes não querem que o atendimento à população seja interrompido, mesmo durante a obra.

“Paradoxalmente, está nesse estado, mas é o espaço da saúde e da educação. Então, isso provoca na gente uma situação de preocupação maior, mas também não deixar de atender aqueles que contam com esse atendimento”, disse o diretor do Hospital Escola, José Mauro de Lima

A Defensoria Pública da União quer saber se o prédio tem seguro e plano contra incêndio. No ofício, encaminhado nesta quarta-feira à UFRJ, as mesmas perguntas são feitas em relação ao Instituto de Filosofia e Ciências Sociais e à Faculdade de Direito, no Centro do Rio.

Os defensores federais também querem saber quem era o engenheiro responsável pelas obras de restauração no Palácio Universitário, no campus da Praia Vermelha, e quando foi a última inspeção nos hidrantes.

Ajuda para reconstrução

Na tarde desta quarta-feira (30), o prefeito Eduardo Paes anunciou, pelo twitter, que a prefeitura vai pagar metade do custo da recuperação do Palácio - cerca de R$ 4 milhões.

A UFRJ informou que já está buscando outros parceiros, além da prefeitura, para reconstruir a capela e outras partes do Palácio Universitário e disse, também, que o reitor vai se reunir na quinta-feira (31) com os defensores públicos, para falar sobre os prédios da universidade.

Segundo a assessoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) ainda não é possível definir o valor do custo das obras de recuperação do prédio atingido. Na terça-feira, a universidade pediu ajuda à sociedade para as obras de reconstrução da igreja.

A Defesa Civil fez uma vistoria nesta quarta-feira para avaliar as condições estruturais do prédio e vai informar quais áreas no campus terão que seguir interditadas, informou a assessoria.

Causas do incêndio

Na segunda-feira (28), durante o trabalho dos bombeiros para conter as chamas, alunos e funcionários da universidade apontaram que o fogo teria começado em uma obra de restauração do prédio da UFRJ.

A Polícia Federal realizou na terça-feira (29) uma perícia no prédio atingido pelo incêndio.

Em nota, a UFRJ informou que, "caso haja indícios de negligência por parte da empresa, a Universidade se reserva ao direito de procurar obter na Justiça a reparação indispensável".

Aulas voltam na segunda-feira

Segundo a UFRJ, as aulas para os cursos da Escola de Comunicação, das faculdades de Administração, Ciências Contábeis e Educação e do Instituto de Economia só voltarão ao normal na próxima segunda-feira  (4). A suspensão das aulas se dá por motivos de segurança, de acordo com a própria universidade.

Ainda segundo a UFRJ, as atividades dos cursos que funcionam em outras áreas do Campus da Praia Vermelha já voltaram ao normal.

veja também