MENU

Professora bolsista faz pesquisa na França sobre hepatite

Professora bolsista faz pesquisa na França sobre hepatite

Atualizado: Sexta-feira, 22 Maio de 2009 as 12

Estudar em outro país é fundamental para melhorar qualidade de uma pesquisa, como constatou a professora Delvone Almeida, da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Ela esteve por quatro meses em Lyon, França, para fazer experimentos sobre a hepatite. Graças ao emprego da tecnologia francesa, ela concluiu que certos tipos do mal prevalecem em áreas rurais da Bahia e diminuem ao se aproximar de grandes centros urbanos. ''Levamos amostras de soros para testes que não poderíamos realizar aqui. A França tem grande estrutura e está muito interessada em cooperação com pesquisadores brasileiros'', disse Delvone.

A professora baiana realizou parte de sua pesquisa na França como bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em cooperação com o Comitê Francês de Avaliação da Cooperação Universitária e Científica com o Brasil (Cofecub).

O acordo, que completa 30 anos, traduz-se em um programa de cooperação universitária que apoia projetos conjuntos de pesquisa entre instituições de educação superior para estimular a formação e o aperfeiçoamento de doutorandos e professores. Criado em 1978, o programa resultou em 659 projetos em todos os campos disciplinares. Estão em vigência 124 projetos, cinco dos quais ligados à UFBA, que já teve 24 contemplados.

Para comemorar a data, no ano da França no Brasil, Salvador sediará a partir deste domingo, dia 24, até terça-feira, 26, o seminário do 30º aniversário do convênio entre a Capes e o Cofecub. Cientistas, pesquisadores, mestres e doutores apresentarão trabalhos desenvolvidos por grupos de pesquisa conjuntos em ambos os países. Ao todo, 61 projetos ganharão destaque em ateliês temáticos simultâneos, apresentações e murais. Também será realizada uma mesa-redonda sobre as perspectivas do acordo e sua articulação com outros programas.

veja também