MENU

Professores brasileiros fazem curso de pedagogia no Japão

Professores brasileiros fazem curso de pedagogia no Japão

Atualizado: Terça-feira, 28 Julho de 2009 as 12

As cidades de Nagoya, Hamamatsu e Ota, no Japão, são pontos de encontro de 300 professores brasileiros que começaram este mês um curso de pedagogia a distância. A formação será feita pela Universidade Federal de Mato Grosso, filiada à Universidade Aberta do Brasil (UAB), e em parceria com a Universidade Tokai.

A abertura do curso e as primeiras 16 horas de aula presencial aconteceram na sede da Universidade Tokai, na cidade de Hiratsu, nos dias 11 e 12 deste mês. Mas o curso, que tem duração de quatro anos, será desenvolvido em três pólos da Universidade Tokai, em Nagoya, Hamamatsu e Ota, cidades que concentram a maioria dos trabalhadores brasileiros no Japão.

A coordenadora do Projeto de Formação de Professores pelo Acordo Brasil-Japão, Kátia Morosov Alonso, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), explica que o curso atende a professores brasileiros sem graduação ou com graduação em área diferente daquela em que trabalham. O vestibular, que aconteceu em maio, teve 506 inscritos para 300 vagas.

Estrutura - Para oferecer o curso de pedagogia, a UFMT montou uma estrutura que compreende coordenações geral, de curso e pedagógica, a participação de 17 orientadores educacionais, materiais didáticos impressos e como ferramenta a Plataforma Moodle. Nos pólos, os professores brasileiros têm o auxílio de três tutores bilíngües (línguas portuguesa e japonesa) selecionados no Japão pela Universidade Tokai. Esta universidade também oferece a infra-estrutura dos pólos (biblioteca, laboratórios, computadores) e apoio para as atividades dos grupos de estudos e videoconferências.

Segundo Kátia Alonso, os cursistas estudarão neste semestre o que é e como funciona a educação a distância e os módulos de antropologia e sociologia. Ao final de cada módulo os alunos são avaliados. As aulas do semestre estão previstas para encerrar em 20 de dezembro.

O curso, na modalidade a distância, tem duração de quatro anos (2009-2013), divididos em oito semestres e carga de 3.360 horas. A cada semestre o curso tem três momentos presenciais, sendo dois por viedeoconferência e um encontro com os professores da UFMT, no Japão.

Dados do portal da Embaixada do Brasil em Tóquio indicam que funcionam no Japão 71 escolas brasileiras, das quais, 52 foram homologadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), e 19 estão em processo de homologação. Kátia Alonso estima que hoje 80% dos professores que trabalham em escolas brasileiras no Japão, lecionam na educação infantil e nas séries iniciais do ensino fundamental. É para eles que a universidade oferece a licenciatura em pedagogia.

veja também