MENU

Programa Saúde nas Escolas pode chegar a 113 mil alunos do Rio

Programa Saúde nas Escolas pode chegar a 113 mil alunos do Rio

Atualizado: Quinta-feira, 7 Outubro de 2010 as 11:39

Atendimentos médicos e odontológicos devem chegar a 113 mil estudantes da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro no próximo ano letivo. O programa Saúde nas Escolas, uma parceria entre as secretarias municipais de Educação e Saúde, implantará 160 unidades fixas de pronto-atendimento e oito equipes móveis, com médicos, dentistas e psicólogos, que vão percorrer de furgão as instituições de ensino. A meta é alcançar 176 mil atendimentos por ano, sendo 153 mil médicos e 23 mil odontológicos.

As primeiras beneficiadas do projeto serão as 151 Escolas do Amanhã e outros nove Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs), ainda sem endereço definido. "Queremos integrar a comunidade escolar e os familiares às unidades de saúde, aproximando as iniciativas públicas", afirma a coordenadora do programa, Aline Bressam. As consultas serão apenas para os estudantes, os pais vão participar de atividades educativas de prevenção a doenças.

Técnicos de Administração em Saúde com formação em Enfermagem serão responsáveis pelo pronto-atendimento diário. Além de prestar os primeiros socorros, como em caso de acidente, vão levantar informações sobre a saúde dos estudantes para formar um banco de dados. Já as oito equipes móveis, compostas por médicos, psicólogos e dentistas, prestarão o atendimento mensal nesses estabelecimentos.

O objetivo é facilitar o acesso de pessoas que vivem em áreas carentes ao sistema público de saúde, fazendo os encaminhamentos quando forem necessários. Ações educativas, como palestras sobre higiene bucal e alimentação, e reuniões com as famílias devem também entrar no calendário escolar.

O edital de concorrência para o trabalho de coordenação do programa, que tem orçamento previsto de R$ 35 milhões para cada dois anos, já foi publicado. As propostas devem ser entregues até 12 de outubro, e o resultado da seleção sai dia 21. A partir de então, os profissionais serão treinados para atuar nas escolas.     Postado por: Guilherme Pilão

veja também