MENU

Ranking das 20 melhores escolas do Paraná tem apenas 3 da rede pública

Ranking das 20 melhores escolas do Paraná tem apenas 3 da rede pública

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 10:20

Apenas três escolas da rede pública de ensino estão entre as 20 melhores do Paraná no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010. O Colégio Militar de Curitiba e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná no campi de Curitiba e de Cornélio Procópio são as que se destacam no grupo em que escolas particulares predominam. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) nesta segunda-feira (12).

O Colégio Militar de Curitiba obteve o melhor desempenho no Enem 2010

entre as escolas da rede pública do Paraná (Foto: Divulgação/Giliane Nicleviscz)     O Ministério da Educação mudou o critério de divulgação das notas por escola do Enem. Foram criadas quatro categorias de acordo com a porcentagem de participação no Enem 2010:

Grupo 1: de 75% a 100% (17,8% das escolas)

Grupo 2: de 50% a 74,9% (20,9% das escolas)

Grupo 3: de 25% a 49,9% (33% das escolas)

Grupo 4: de 2% a 24,9% (27,4% das escolas)

De acordo com a nota técnica divulgada pelo MEC, não se deve misturar as categorias para comparação de desempenho entre as escolas. As escolas que tiveram menos de 2% de participação não foram consideradas. De acordo com o MEC, a média de participação dos estudantes no Enem 2010 foi de 56,4%.

No ranking do Grupo 1, o Colégio Militar de Curitiba ficou em 5º lugar com média total de 667,36 pontos. As outras duas escolas ficaram classificadas no Grupo 2. O campus de Curitiba da Universidade Tecnológica Federal do Paraná alcançou o 1º lugar e o campus de Cornélio Procópio, na região Norte do Paraná, ficou na 4ª posição.

O Colégio Marista Santa Maria, em Curitiba, ficou no topo da lista dos colégios com melhor desempenho no Enem 2010, com média total de 691,99 pontos. A nota inclui os resultados dos alunos, que cursaram o último ano do Ensino Médio em 2010, na prova objetiva - nas disciplinas de ciências da natureza, ciências humanas, matemática e língua portuguesa - e de redação. Em 2009, a escola da rede privada de ensino ficou em 3º lugar.

O Colégio Bom Jesus, em Curitiba, é o 2º colocado na lista dos melhores do estado com média total de 672,97 pontos. No 3º lugar ficou o colégio Diocesano João Paulo I, de Porecatu, no Norte do Paraná, também da rede privada, com média total de 670,77 pontos.

No fim da lista do Grupo 1, o Colégio Estadual Nossa Senhora Aparecida, em Rio Azul, no Sudeste do Paraná, ficou com a pior colocação do ranking. Os estudantes da escola tiveram o pior desempenho do estado e atingiram a média geral de 483,65 pontos.

Entre as 10 piores escolas do Grupo 2, o Colégio Estadual do Núcleo de Santa Lúcia, que fica na área rural de Coronel Vivida, na região Sudoeste do estado, ficou na última posição com 462,42 pontos na média geral.

Na lista das 20 piores escolas do estado, todas são da rede pública.

O ranking do G1 desconsidera escolas que ficaram sem média geral. Essas escolas tiveram menos de dez alunos no Enem e que realizaram uma das provas, objetiva e de redação, ou tiveram menos de 2% de participação no exame.

Das 175 escolas paranaenses que foram classificadas no Grupo 1, ou seja, em que mais de 75% dos alunos participaram, apenas 37 são da rede pública de ensino. Neste mesmo grupo, 8.431 alunos, das escolas classificadas, participaram do exame e a média total variou entre 691,99 e 483,65 pontos, entre o primeiro e último lugar.

De acordo com o dados do MEC, o resultado geral do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010 mostra que o desempenho médio dos alunos regularmente matriculados naquele ano melhorou em relação ao ano de 2009. A nota média nas provas objetivas passou de 501,58 pontos para 511,21 pontos em 2010. 

Além disso, a participação dos alunos no exame também tem aumentado. Em 2010, 56,4% dos estudantes concluintes do ensino médio regular fizeram o Enem, contra 45,8% dos concluintes de 2009.

Sobre o índice ruim do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, de Rio Azul, o atual diretor da escola, Gervásio Surmacz, informou ao G1 que não considera o resultado dos alunos no Enem como avaliação para a instituição de ensino. "O Ideb (Índice de Desenvolvimento de Educação Básica) é que avalia a escola", finalizou ele.             

veja também