MENU

Resultado do ensino médio no Ideb é preocupante, diz especialista

Resultado do ensino médio no Ideb é preocupante, diz especialista

Atualizado: Sexta-feira, 2 Julho de 2010 as 7:46

O avanço de apenas 0,1 ponto no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) registrado pelo ensino médio, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (1º) pelo Ministério da Educação (MEC), é preocupante, de acordo com o presidente executivo da ONG Todos pela Educação, Mozart Neves Ramos.

Passar da nota 3,5, em 2007, para 3,6, em 2009, mostra uma estagnação, segundo Ramos. A escala vai de 0 a 10. A meta para 2021 no ensino médio é de 5,2 pontos. ''As boas notas do ensino fundamental não se perpetuam no ensino médio. O que puxou as notas nas séries iniciais foi o desempenho dos alunos e não a aprovação. No ensino médio, o peso da aprovação foi muito maior que o desempenho, relativamente. É muito preocupante a questão do ensino médio. Isso coloca um desafio para os próximos governadores'', afirmou.

A avaliação foi criada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e leva em conta dois fatores que interferem na qualidade da educação: rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e médias de desempenho na Prova Brasil.

Para Mozart, uma reforma do ensino médio deverá ser colocada na agenda de prioridades dos próximos governadores, que deverão articular as ações com o MEC. ''Eles têm de focar, principalmente, na valorização dos professores e na reformulação do currículo, que precisa ficar mais atraente'', disse.

Países que têm os melhores níveis educacionais, como Finlândia e Coréia do Sul, atraíram jovens talentosos para atuar nas salas de aula, de acordo com o presidente executivo do Todos pela Educação. ''Aqui, ocorre o contrário'', afirmou.

Mudanças no currículo também são essenciais para manter estudantes na escola, segundo a avaliação de Ramos. ''Hoje, dos que se evadem, 40% fazem isso por desinteresse''.

Sobre as séries do ensino fundamental, Ramos afirmou que devem alcançar o Ideb de 6, nota de países desenvolvidos, antes da data prevista. A meta é chegar à nota em 2021, mas as notas podem ser atingidas em 2016 ou 2018, de acordo com Ramos. ''Apesar de estarmos comemorando, é importante lembrar a cada novo biênio o esforço será muito maior que o anterior''.

Por Fernanda Nogueira

veja também