MENU

Robôs, carrinhos motorizados e biodiesel reúnem estudantes do ensino médio na FEI

Robôs, carrinhos motorizados e biodiesel reúnem estudantes do ensino médio na FEI

Atualizado: Quinta-feira, 18 Setembro de 2008 as 12

Durante mais de seis meses, cerca de 150 estudantes do ensino médio de quatro escolas da Grande São Paulo estiveram empenhados na produção de biodiesel e no desenvolvimento de robôs e de carrinhos motorizados, desenvolvidos com a orientação de professores do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana). Agora, chegou a hora dos estudantes mostrarem os resultados durante a etapa final do projeto ?JOVEM? (Jornadas de Valorização das Engenharias no Ensino Médio), dia 19 de setembro, a partir das 9h, na FEI, campus São Bernardo (avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, 3972, bairro Assunção).

O projeto ?FEI-JOVEM?, que tem como principal objetivo aproximar os estudantes do ensino médio das áreas de Engenharia, reúne estudantes das escolas estaduais Professor Benedito Tolosa e Rui Bloem e dos colégios São Luís e Vera Cruz. Cada escola participa com pelo menos um projeto em cada categoria, e envolve a produção de biodiesel, desenvolvimento de um robô e um carrinho motorizado com rodas de kart. No total serão apresentados 22 projetos.

A iniciativa é apoiada pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), do Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio do programa PROMOVE, voltado à promoção e valorização das engenharias no ensino médio. A FEI é a única instituição particular selecionada pelo MCT no Estado a receber o apoio dentro do PROMOVE. Em agosto deste ano, a FEI já deu início ao segundo ano do projeto. Professores das escolas participantes já estiveram na FEI para conhecerem melhor as diversas áreas da engenharia e divulgar entre seus alunos os trabalhos que serão realizados ao longo deste ano e também em 2009.

?Os alunos se envolveram bastante no projeto. E é importante destacar que todos os grupos conseguiram vencer os desafios propostos?, destaca o professor Vagner Barbeta, coordenador do FEI JOVEM. Os projetos que receberem a maior pontuação ganharão troféus, embora todas as equipes participantes já possam ser consideradas ganhadoras por terem vencido os desafios propostos.

Biodiesel

Na área da Engenharia Química, o desafio proposto aos alunos foi a produção de biodiesel, a partir do óleo de soja como matéria-prima. Durante o desenvolvimento do projeto, os alunos fizeram todo o processo: lavaram, destilaram e depois levaram o produto até a FEI para ser avaliado por técnicos do LACOM (Laboratório de Combustíveis e Lubrificantes). Os técnicos realizaram a análise do biodiesel e mediram a viscosidade, densidade, pressão de vapor, ponto de entupimento, corrosão ao cobre e lubricidade. ?Os estudantes aproveitaram até as férias para de dedicarem ao projeto?, afirma o professor do curso de Engenharia Química da FEI, Ricardo Torres.

No dia da etapa final, os sete grupos vão apresentar a uma banca examinadora, composta por professores da FEI, todo o processo que foi utilizado para a produção do biodiesel, bem como os resultados alcançados. Os estudantes também vão entregar um relatório. Cada grupo receberá um certificado de participação.

Corrida de robôs

Uma corrida com a participação de oito robôs integra a última etapa dos projetos na área de Engenharia Elétrica. Os cerca de 60 estudantes cumpriram a meta de montar e programar um robô para movimentar-se ao longo de um circuito. Durante a competição, que será realizada no ginásio de esportes, os robôs participarão de uma corrida, com tomada de tempo de percurso.

A prova será em um circuito de, aproximadamente, seis metros e com alguns obstáculos. O percurso a ser realizado pelos robôs é composto por uma faixa preta, impressa sobre papel branco, contendo marcas azuis antes de cada curva. ?Sagra-se campeã a equipe que acumular mais pontos nos quesitos a serem avaliados (design, tempo de percurso, melhor tempo, apresentação oral do projeto, desempenho do robô em cada curva, entre outros itens)?, destaca o professor do curso de Engenharia Elétrica da FEI, Paulo Santos. Para desenvolver os robôs, cada equipe recebeu um kit, composto por motores elétricos, sensores, uma central de controle para programação e material de pesquisa.

Mais informações pelo site www.fei.edu.br .

veja também