MENU

Secretaria de Educação vai ampliar número de escolas de referência em PE

Secretaria de Educação vai ampliar número de escolas de referência em PE

Atualizado: Sexta-feira, 10 Junho de 2011 as 10:04

Pernambuco comemora o resultado de uma avaliação feita em 931 escolas estaduais no ano passado. O Índice de Desempenho da Educação (Idepe), obtido por meio de provas de português e matemática, teve como destaque uma escola de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. A escola de referência em ensino médio Maria Vieira Muliterno (foto 2) tirou a maior nota: 5,39. Um desempenho que deixa professores e alunos orgulhosos.

Ao comentar o resultado dessa pesquisa no Bom Dia Pernambuco desta sexta-feira (10), o secretário de Educação do Estado, Anderson Gomes (foto 1), afirmou que a secretaria pretende ampliar o número de escolas integrais em Pernambuco. Ao todo, existem 174 escolas de referência no Estado.

  “Todos os alunos da rede pública de Pernambuco podem ter acesso a essas escolas, que estão espalhadas em todo o Estado e, até 2014, nós teremos 300 escolas em tempo e ensino integral, universalizando o ensino médio no Estado, que é uma política pública implantada pelo governador Eduardo Campos desde 2007. Vamos ter mais dessas escolas no interior”, garantiu.

Anderson Gomes explicou o conjunto de fatores que faz dessas escolas serem de referência. “Passa pela gestão, pela dedicação dos professores, pelo melhor uso da verba pelas escolas e também pelo fato de os professores passarem o dia todo na escola, o que permite uma interação maior entre estudante e professor. Há também uma melhor qualidade de vida para os professores: eles não têm que se deslocar de escola para escola, pois passam o dia em uma escola, onde tem merenda e almoço para os alunos, que têm a vantagem de ter tempo de se aprofundar nas disciplinas que eles têm mais dificuldades. Com todas essas ferramentas à disposição, tenho certeza que vamos alcançar melhores rumos de desempenho da educação”, disse.

O secretário disse o que pretende fazer para levar essa qualidade de ensino para todas as 1.112 unidades escolares da rede estadual. “Nós vamos continuar fazendo essas melhoras. Os professores tiveram, neste ano, um aumento mais digno, mas certamente ainda tem o que melhorar nos anos seguintes. O fato de eles não estarem em greve foi uma vitória de todo mundo e quem ganha mais com isso são os estudantes que estão nas salas de aula. A infraestrutura das escolas está melhorando cada vez mais e estamos e os resultados também estão aparecendo no ensino fundamental. Estamos estudando para ver como implantamos no ensino fundamental pelo menos uma carga horária estendida para dar mais possibilidades os estudantes”, afirmou.

Anderson Gomes disse que vai buscar mais recursos junto ao Ministério da Educação (MEC) para as escolas do Estado. “Demonstramos que esse modelo funciona e, portanto, vamos atrás de mais verbas do Ministério da Educação, além da política do Governo do Estado de investir cada vez mais nessas escolas. Quando elas mostram um desempenho melhor, naturalmente a gente consegue buscar mais verbas em outros setores, inclusive com parcerias com a iniciativa privada”, disse.

Ele falou também sobre os incentivos concedidos para o professor da rede estadual: “Nós temos o chamado bônus de desempenho educacional, o DDE como é conhecido, que vamos anunciar o resultado na próxima semana. Cada professor, cada funcionário da escola e cada funcionário das gerências regionais vão receber um valor financeiro, que é mais do que um salário. A folha salarial de um mês é separada e dividida de acordo com o desempenho de cada escola”.    

veja também