MENU

Segunda fase do vestibular da USP e da Unicamp está chegando; saiba o que muda

Segunda fase do vestibular da USP e da Unicamp está chegando; saiba o que muda

Atualizado: Terça-feira, 29 Dezembro de 2009 as 12

A cinco dias do início da segunda fase do vestibular da Fuvest (fundação que seleciona novos alunos para a USP), as mudanças no formato da prova preocupam os estudantes. Até o ano passado, eram cobradas apenas as questões da carreira escolhida, dentro de sua área, em até cinco dias de exame.

Quem optasse por disputar o curso de direito, por exemplo, faria questões de história e geografia, além de responder a dez perguntas discursivas de português e uma redação no primeiro dia desta etapa. Esse dia era e continua sendo obrigatório para todos os candidatos, mesmo com o novo formato do vestibular.

Com as mudanças, o segundo dia da segunda fase passa a exigir 20 questões discursivas de todas as disciplinas - física, química, história, geografia, biologia, matemática e inglês.

Este dia vale para todos que disputam o vestibular. Haverá, entre as questões, algumas do tipo interdisciplinar, que une duas ou mais matérias. A USP (Universidade de São Paulo) não divulga quantas seguirão este modelo.

Coordenadora do Cursinho Objetivo, Vera Lúcia da Costa Antunes avalia que serão cobradas, em média, três perguntas para cada disciplina no segundo dia do processo seletivo:

''Os três dias da segunda fase terão igual importância, já que cada um valerá cem pontos. A tendência é que o nível de exigência no segundo dia de provas seja menor, com questões menos aprofundadas. Mas não dá para descuidar''.

Maior dificuldade

No terceiro dia de provas da segunda fase da Fuvest é que reside a maior dificuldade, na avaliação de Vera. Serão cobradas 12 questões de duas ou três matérias específicas, dependendo da carreira escolhida.

No caso de direito, por exemplo, o terceiro dia do exame passou a cobrar matemática, além de geografia e história. Houve mudanças semelhantes em cerca de 50 carreiras das 104 oferecidas.

Os alunos que estão fazendo o vestibular pela segunda vez vão sentir diferença e achar a segunda fase mais exigente, na opinião do diretor do Cursinho COC em São Paulo, Fábio Rendelucci:

''Não vai chegar a prejudicar ninguém. Quem se esforçou tem a mesma chance de ser aprovado. Vale a dica de começar a prova pelas questões que o aluno tem mais facilidade''.

Não dá para ''empacar'' em uma questão e gastar muito tempo nela, principalmente no segundo dia, em que o número de perguntas vai ser maior, afirma Rendelucci. Ele aconselha o estudante a pular as perguntas mais difíceis e voltar a elas mais tarde, depois de ter feito outras:

''O candidato ganha autoconfiança se está indo bem na prova. Há muitas maneiras de fazer o vestibular, mas parar em uma ou duas questões de temas árduos para o aluno e perder tempo vai prejudicá-lo''.

Outra dica é ler o tema da redação de cara no primeiro dia da prova, mesmo que não vá fazê-la tão rápido, diz o diretor do COC:

''Ao ler [o tema da redação], a ideia vai amadurecer na cabeça do estudante e ele já vai pensando na linha que seguirá no texto''.

A redação vale muitos pontos e costuma ser crucial na hora da decisão por uma vaga, ressalta Rendelucci.

A segunda fase da Fuvest vai ser realizada nos dias 3, 4 e 5 de janeiro de 2010. Em todas as provas, o horário é o mesmo: começa às 13h e tem teto máximo para terminar até 17h.

A universidade recomenda aos estudantes chegarem ao local com antecedência. Estão em disputa 10.812 vagas, sendo 10.622 na USP, cem no curso de medicina da Santa Casa e 90 na Academia de Polícia Militar do Barro Branco.

Nota de corte

Quase todas as notas de corte da primeira fase caíram, segundo informou com exclusividade o R7.

A mudança já era esperada pela pró-reitoria de graduação da USP, que atribuiu a queda à desistência do uso da pontuação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) nesta edição do vestibular.

Professores ouvidos pela reportagem foram enfáticos em dizer: vale a pena aproveitar os poucos dias que restam antes da segunda fase dos vestibulares para estudar.

Outros processos seletivos que já foram aplicados, por exemplo, podem ser úteis para os candidatos, diz Vera:

''A prova da UFSCar [Universidade Federal de São Carlos] aplicada neste ano deve ser usada como exercício. O aluno pode utilizar os vestibulares da Unesp e Unifesp também para estudar''.

Unicamp

Não houve alterações na segunda fase do vestibular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) para a edição deste ano.

Só a partir do ano que vem é que haverá novidades, como questões de múltipla escolha na primeira fase e adoção obrigatória da nota do Enem no processo seletivo.

Atualmente, são cobrados quatro dias de prova na Unicamp, cada um com 24 questões do tipo discursiva, que exigem resposta escrita.

Cada dia de exame têm duas matérias - serão cobradas 12 questões de português, literatura, ciências biológicas, química, história, física, geografia, matemática e inglês de todos os candidatos.

O processo seletivo ocorre nos dias 10, 11, 12 e 13 de janeiro de 2010. Os portões são abertos às 13h - horário em que todos os candidatos já devem estar nos locais de exame - e fechados às 13h45, quando não será mais permitido entrar nas salas de prova.

Cada dia da segunda fase da Unicamp têm tempo máximo de permanência em sala de quatro horas.

Longa e trabalhosa

Os vestibulandos em geral sentem mais cansaço com a segunda fase da Unicamp do que com a Fuvest, afirma a coordenadora do Objetivo:

''É uma prova longa e trabalhosa. Raramente os alunos saem rápido das salas de aula. Meu conselho é não fazer muito rascunho nas questões, para evitar perder tempo''.

A dica é repetida pelo diretor do COC. Ele reforça, ainda, que a letra tem que ser legível em ambos os vestibulares:

''Enrolar e fazer respostas longas não ajuda o estudante. Vale mais a pena fazer respostas simples e completas''.

Por Rafael Sampaio

veja também