MENU

Trabalhadores da Unicamp iniciam greve por tempo indeterminado

Trabalhadores da Unicamp iniciam greve por tempo indeterminado

Atualizado: Quarta-feira, 12 Maio de 2010 as 3:33

Trabalhadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) decidiram em assembleia nesta quarta-feira (12) iniciar greve por tempo indeterminado por insatisfação com reajuste de 6,57%, concedido pelo Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp).

O Cruesp concedeu o reajuste salarial para docentes e servidores técnico-administrativos em reunião realizada na tarde desta terça-feira (11) com o Fórum das Seis, formado por funcionários e professores da Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O conselho afirma que o valor está 1,5% acima do índice de inflação medido pelo IPC-Fipe no período de maio de 2009 a abril de 2010, que foi de 5,07%. O aumento será aplicado sobre os vencimentos de maio.

''Com esse índice, o Cruesp reafirma o propósito de preservar o poder aquisitivo dos salários e, ao mesmo tempo, manter o indispensável equilíbrio financeiro das universidades'', diz texto da nota.

Em greve desde 5 de maio, funcionários da USP disseram não estar satisfeitos com o valor e decidiram manter a paralisação. Trabalhadores das 32 unidades da Unesp decidem em assembleias entre esta quarta-feira e segunda-feira (17) se irão aderir à greve.

Os sindicatos de trabalhadores querem a extensão do aumento de 6% concedido a docentes no início do ano. ''Os reitores alegam que não foi reajuste, mas, sim, acerto da carreira. Para nós, isso é quebra de isonomia entre as categorias'', disse a coordenadora-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU), Margarida Barbosa.

Uma nova reunião do Fórum das Seis com o Cruesp ocorre na terça-feira (18).

veja também