MENU

Trote causa preocupação na direção da Universidade de Brasília

Trote causa preocupação na direção da Universidade de Brasília

Atualizado: Quinta-feira, 15 Julho de 2010 as 7:31

O trote que ocorreu na Universidade de Brasília (UnB) na terça-feira (13) causou preocupação na direção da universidade. As fotos tiradas pela UnB Agência mostram como foi a recepção aos calouros do Curso de Agronomia da instituição.

Sujos de tinta e alimentos, os novos estudantes andaram em fila conhecida como ''elefantinho'', com as mãos embaixo das pernas e o corpo inclinado. Em seguida, os alunos rodaram com a cabeça na ponta de um cabo de vassoura até ficarem tontos. E ainda foram estimulados a entrar em uma poça de lama com restos de comida e lixo para procurar sabonetes. Depois, foram incentivados pelos veteranos a escorregar de barriga no chão molhado do Instituto Central de Ciências.

Os chamados trotes com os estudantes que acabaram de entrar na universidade são comuns em muitas instituições. Mas a prática foi reprovada pelo reitor da UnB e pelo coordenador do diretório dos estudantes.

''Não dá mais para a universidade, mesmo enquanto direção e até os estudantes, ainda entenderem esse trote como qualquer tipo de integração. Está bem longe do que a gente imagina como universidade, no campo de troca de saberes. Está bem longe disso'', ressalta o coordenador do Diretório Central de Estudantes Thiago Magalhães.

Cada calouro teve também que recolher R$ 30. Uma lista na entrada do Centro Acadêmico da Agronomia mostra os nomes dos que não conseguiram toda a quantia. Na parede há também uma cópia do comprovante do depósito do dinheiro arrecadado: R$ 1,2 mil. No chão em frente ao centro, resquícios do trote: várias latas de cerveja.

O reitor da UnB diz que desaprova este tipo de recepção aos calouros e que a universidade tem ações para coibir os trotes que humilham os alunos. ''São campanhas escritas no momento de acolhimento. Mas também são campanhas educadores que podem ter estrutura de informação: cartilhas, cartazes, palestras'', afirmou o reitor UnB José Geraldo de Sousa Júnior

Os alunos da Agronomia que organizaram o trote não quiseram gravar entrevista, mas disseram que nenhum calouro foi obrigado a participar e que não houve violência.

veja também