MENU

UnB decide adotar o Enem somente a partir de 2011

UnB decide adotar o Enem somente a partir de 2011

Atualizado: Sexta-feira, 8 Maio de 2009 as 12

A Universidade de Brasília (UnB) não participará neste ano do vestibular unificado proposto Ministério da Educação para as instituições federais.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) só será usado no processo seletivo para ingresso no ano de 2011. Segundo informações da UnB Agência, o, a decisão foi tomada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão na tarde de quinta-feira, 7 de maio.

O placar foi de 19 votos favoráveis ao adiamento da participação no projeto do Ministério da Educação e sete contra. Outros sete conselheiros se abstiveram. A forma de adesão ao projeto em 2010 não ficou definida. Os conselheiros optaram por deixar para depois a discussão sobre a maneira de como o Enem será integrado ao processo seletivo da UnB. Ainda não está estabelecido um calendário para as novas discussões.

O Programa de Avaliação Seriada (PAS) e as cotas para negros serão mantidos. "Partiremos agora para uma discussão técnica sobre formas de participação. O importante é que a UnB integre o sistema nacional, que se configura em um esforço para melhorar as formas de acesso ao ensino superior", afirma o reitor José Geraldo de Sousa Jr.

Definição

O reitor disse, em vários momentos, a vontade de que o sistema da instituição fosse definido durante o encontro. "O que foi apresentado é bastante razoável. Foi uma discussão muito importante. Quando uma política pública é implementada ela vem para garantir direitos", acrescenta José Geraldo, que chegou a dizer que seria inaceitável a UnB não se posicionar no dia.

José Geraldo considera importante a participação da UnB na proposta de unificação do vestibular. "Essa discussão mobilizou toda a sociedade, o que só reforça a relevância dela."

O assunto dividiu opiniões durante a reunião. "A universidade não pode ficar a reboque, tem de liderar esse debate até pela qualidade dos processos seletivos que realiza. Precisamos dar uma sinalização objetiva à sociedade", disse o professor da Faculdade de Tecnologia Ivan Camargo, que também esperava que a forma de adesão fosse definida na reunião.

Formas de adesão

Nenhuma posição apresentada foi favorável à adesão do novo Enem como única maneira de seleção. A proposta da Câmara de Ensino de Graduação de que o novo Enem representasse de 5% a 10% da nota final do candidato foi a mais apoiada.

A segunda proposta seria estabelecer uma cota de vagas para o novo Enem, sem prejudicar as que já estão definidas para o PAS e as cotas para negros.

veja também