MENU

UNE lança central para que estudantes comuniquem problemas no Enem

UNE lança central para que estudantes comuniquem problemas no Enem

Atualizado: Terça-feira, 9 Novembro de 2010 as 8:22

A União Nacional dos Estudantes (UNE) montou uma central para receber reclamações de estudantes prejudicados pelos erros ocorridos durante a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nesse fim de semana. Os candidatos podem entrar em contato com a entidade pelo e-mail [email protected] e pelo telefone (11) 2771-0792, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

A entidade quer que o Ministério da Educação (MEC) calcule o mais rápido possível o número exato de estudantes que foram prejudicados. Vinte e um mil cadernos de prova amarelos apresentaram erro de montagem e não continham todas as 90 questões aplicadas no sábado (6). Não se sabe ainda quantos candidatos foram prejudicados por esse problema e o MEC estuda aplicar novas provas para esse grupo.

Outro problema ocorreu na folha em que os estudantes marcam as respostas das questões, que estava com o cabeçalho das duas provas trocado. O exame teve 90 questões, sendo a primeira metade de ciências humanas e o restante de ciências da natureza. Mas, na folha de marcação, as questões de 1 a 45 eram identificadas como de ciências da natureza e as de 46 a 90, como de ciências humanas.

Na avaliação do presidente da UNE, Augusto Chagas, não há necessidade de anular o exame, como determinou a Justiça Federal no Ceará, se o número de participantes prejudicados for pequeno. "Nossa primeira impressão é que se o problema for localizado, não há justificativa. O prejuízo é inegável aos estudantes que receberam a prova com defeito, mas se o número for pequeno, você tem, por outro lado, milhões de alunos que se prepararam e fizeram a prova sem problemas. Não seria correto prejudicar a ampla maioria em nome de uma minoria."

A UNE defende o uso do Enem como uma forma de superação do modelo de vestibular tradicional, considerado por Augusto como uma ferramenta "arcaica". "O Enem deve se consolidar na direção da democratização da universidade brasileira como são os casos do ProUni e da seleção de dezenas de universidades federais pelo país, superando o velho modelo do vestibular, cruel método de acesso ao ensino superior no país", diz nota divulgada pela entidade.

Por: Amanda Cieglinski

veja também