MENU

Universidades de São Paulo não devem alterar cronograma de vestibulares

Universidades de São Paulo não devem alterar cronograma de vestibulares

Atualizado: Sexta-feira, 2 Outubro de 2009 as 12

As universidades federais e estaduais de São Paulo informaram ontem, 1º de outubro, que não deverão, em princípio, fazer alterações no cronograma de seus processos seletivos apesar do adiamento da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que seria realizado este final de semana em todo o país.

A Fundação Vunesp, que organiza o vestibular da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp) informou, por meio de nota, que vai aguardar pela definição da nova data da prova do Enem para se manifestar sobre possíveis mudanças no calendário do vestibular deste ano. Segundo a Vunesp, os candidatos a vagas nos cursos oferecidos pela Unesp serão informados com antecedência caso ocorra alguma alteração.

As provas da Unesp são divididas em duas fases: a primeira delas, que envolve uma prova de conhecimentos gerais, está marcada para o dia 8 de novembro. A segunda fase, composta de provas discursivas, será aplicada nos dias 20 e 21 de dezembro. Segundo a assessoria de imprensa da Vunesp, a nota do Enem tem o peso de 10% na nota final do processo seletivo, mas só em cursos em que não há prova de habilidade.

Também por meio de nota à imprensa, a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), responsável pelo vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), também informou que vai esperar pelo anúncio das novas datas de provas e da disponibilização das notas do Enem. Na Unicamp, a nota do Enem tem peso de 20% na primeira fase do processo seletivo.

"Caso seja constatado que não haverá tempo hábil para a utilização destas notas para a composição da nota de primeira fase do vestibular 2010, a Comvest aplicará o que está previsto no edital do vestibular 2010, que determina que, se não estiverem disponíveis para a Comvest até 30 de novembro de 2009, as notas do Enem 2009 não serão utilizadas para a composição da nota da primeira fase do Vestibular Unicamp 2010", diz a nota.

Já a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) informou que vai manter o calendário previsto para o vestibular e que o adiamento do Enem não vai afetar o processo seletivo em nenhum dos dois modelos aplicados pela instituição: o unificado (que é o vestibular em fase única com a nota do Enem e que é aplicado em 19 cursos ministrados na instituição) e no misto (que computa a nota do Enem mais o resultado de uma prova e mais uma segunda fase de seleção e que é aplicado em sete cursos). Segundo a Unifesp, as provas da segunda fase serão realizadas nos dias 17 e 18 de dezembro deste ano e vão contar com questões de língua portuguesa, língua estrangeira, redação e conhecimentos específicos.

Na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a assessoria de imprensa informou que, em princípio, não haverá alteração na programação do processo seletivo. A nota do Enem vale 50% da nota final do vestibular da instituição. Os outros 50% correspondem às provas que são aplicadas pela UFSCar.

A Agência Brasil entrou em contato com a Universidade de São Paulo (USP) e aguarda posicionamento oficial.

As universidades federais e estaduais de São Paulo informaram ontem, 1º de outubro, que não deverão, em princípio, fazer alterações no cronograma de seus processos seletivos apesar do adiamento da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que seria realizado este final de semana em todo o país.

A Fundação Vunesp, que organiza o vestibular da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp) informou, por meio de nota, que vai aguardar pela definição da nova data da prova do Enem para se manifestar sobre possíveis mudanças no calendário do vestibular deste ano. Segundo a Vunesp, os candidatos a vagas nos cursos oferecidos pela Unesp serão informados com antecedência caso ocorra alguma alteração.

As provas da Unesp são divididas em duas fases: a primeira delas, que envolve uma prova de conhecimentos gerais, está marcada para o dia 8 de novembro. A segunda fase, composta de provas discursivas, será aplicada nos dias 20 e 21 de dezembro. Segundo a assessoria de imprensa da Vunesp, a nota do Enem tem o peso de 10% na nota final do processo seletivo, mas só em cursos em que não há prova de habilidade.

Também por meio de nota à imprensa, a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), responsável pelo vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), também informou que vai esperar pelo anúncio das novas datas de provas e da disponibilização das notas do Enem. Na Unicamp, a nota do Enem tem peso de 20% na primeira fase do processo seletivo.

"Caso seja constatado que não haverá tempo hábil para a utilização destas notas para a composição da nota de primeira fase do vestibular 2010, a Comvest aplicará o que está previsto no edital do vestibular 2010, que determina que, se não estiverem disponíveis para a Comvest até 30 de novembro de 2009, as notas do Enem 2009 não serão utilizadas para a composição da nota da primeira fase do Vestibular Unicamp 2010", diz a nota.

Já a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) informou que vai manter o calendário previsto para o vestibular e que o adiamento do Enem não vai afetar o processo seletivo em nenhum dos dois modelos aplicados pela instituição: o unificado (que é o vestibular em fase única com a nota do Enem e que é aplicado em 19 cursos ministrados na instituição) e no misto (que computa a nota do Enem mais o resultado de uma prova e mais uma segunda fase de seleção e que é aplicado em sete cursos). Segundo a Unifesp, as provas da segunda fase serão realizadas nos dias 17 e 18 de dezembro deste ano e vão contar com questões de língua portuguesa, língua estrangeira, redação e conhecimentos específicos.

Na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a assessoria de imprensa informou que, em princípio, não haverá alteração na programação do processo seletivo. A nota do Enem vale 50% da nota final do vestibular da instituição. Os outros 50% correspondem às provas que são aplicadas pela UFSCar.

A Agência Brasil entrou em contato com a Universidade de São Paulo (USP) e aguarda posicionamento oficial.

veja também