MENU

Universidades russas oferecem vagas a brasileiros

Universidades russas oferecem vagas a brasileiros

Atualizado: Sexta-feira, 1 Agosto de 2008 as 12

Universidades russas oferecem mais de 100 vagas a estudantes estrangeiros, inclusive brasileiros. Há oportunidades em cursos de graduação e pós-graduação nas mais variadas áreas do conhecimento, entre elas Medicina, Direito, Engenharia Aeroespacial e Relações Internacionais. O processo seletivo para o próximo semestre letivo já está aberto. Interessados podem se inscrever até 8 de agosto na Aliança Russa. O embarque está programado para outubro.

Neste segundo semestre, os brasileiros poderão optar por estudar na Universidade Politécnica de Tomsk, que oferece o curso de Engenharia em Exploração de Gás e Petróleo, ou na Universidade Estatal Médica de Kursk (KSMU), que disponibiliza a estrangeiros programas de Medicina em russo ou em inglês.

Entre as opções também estão as instituição de Moscou: a Universidade de Moscou Lomonosov, a RUDN (Universidade da Amizade dos Povos) e a MMA (Academia Médica Sechenov). Em São Petersburgo, é possível estudar na Universidade Politécnica de São Petersburgo. A alternativa em Bélgorod se restringe a BelGU (Universidade Estatal de Bélgorod).

Segundo a Aliança Russa, o preço dos cursos oferecidos por essas instituições é inferior ao valor proposto pelas principais universidades mundiais e, inclusive, por algumas universidades particulares brasileiras.

Embora não seja aplicado um teste tradicional como o vestibular brasileiro, os candidatos passam por um processo seletivo avaliado pela universidade de interesse e administrado pela Aliança Russa. A avaliação inclui, entre diversos processos, reunião com os pais, análise de histórico escolar, exames de saúde, exames toxicológicos e checagem de antecedentes criminais, tudo para garantir que o aluno se encaixe no perfil da universidade.

Pelo programa, os estudantes iniciam o intercâmbio freqüentando a Faculdade Preparatória, para aprender o idioma local. O tempo de permanência no curso varia de sete a dezesseis meses, dependendo da aptidão do participante. Terminada essa etapa, há um teste de proficiência para o aluno ingressar na faculdade.

Ao voltar para o Brasil, o diploma adquirido na instituição russa deve ser reconhecimento por uma universidade brasileira, procedimento padrão para qualquer brasileiro que faça graduação no exterior. A partir de 2010, os diplomas das universidades russas passarão a ser reconhecidos em toda União Européia, com o Diploma Único de Estudos Superiores da Europa.

Mais informações sobre o programa podem ser obtidos no site www.aliancarussa.com.b r  ou pelo telefone (11) 3854-2513

veja também