MENU

Flu quer vida tranquila nas oitavas da Libertadores

Flu quer vida tranquila nas oitavas da Libertadores

Atualizado: Quarta-feira, 27 Abril de 2011 as 11:19

A classificação heroica com a vitória por 4 a 2 sobre o Argentinos Juniors, em Buenos Aires, há uma semana, foi histórica, definiu o Fluminense como “time do impossível” e contrariou mais uma vez os prognósticos do matemáticos. Tudo muito bonito, muito emocionante, sim. Mas que ninguém nas Laranjeiras quer repetir nas oitavas de final da Libertadores.

Após passar uma primeira fase inteira com a corda no pescoço e se classificar, literalmente, no último minuto da última partida, a preocupação no Tricolor é em ter vida mais “tranquila” nas oitavas de final. Para isso, vencer o Libertad, do Paraguai, quinta-feira, às 21h50m (de Brasília), no Engenhão, é fundamental. E que não venham dizer que “no sufoco é mais gostoso”.

- Não queremos passar o sufoco que passamos na Argentina. Jogo em casa é importantíssimo. É um mata-mata, diferente da primeira fase, e precisamos entrar ligados. Só de não tomarmos o gol, já é 50%. Se ficarmos atento ali na defesa, temos um ataque forte que pode nos dar a vitória – analisou Julio Cesar.

Para o lateral-esquerdo, a ordem dos confrontos nesta fase é indiferente. Logicamente desde que o Tricolor faça seu dever de casa. Sendo assim, a conta é simples: vencer no Engenhão é obrigação para que o Flu ao menos não entre em campo novamente em situação desesperadora fora do Brasil.

- Tem gente que prefere jogar primeiro em casa, outros preferem decidir. Nós temos é que fazer o resultado em casa. Aconteceu dessa maneira, vamos decidir sempre no Rio. E lá fora é guerra. Sabemos como funciona.

Os palavras de Julio Cesar foram ao encontro das de Marquinho. Ciente de que uma goleada que deixe a equipe com a mão na vaga é improvável diante da boa campanha do Libertad na primeira fase, o apoiador exige ao menos a vitória.

- Tranquilidade só vamos ter se vencermos por quatro, cinco gols de diferença. Jogo fora de casa é sempre complicado. Não vamos ter tranquilidade alguma. Mas só a vitória já é um bom. Se for 1 a 0 já é o primeiro passo.

O apoiador, no entanto, admitiu que preferia começar a série mata-mata no Paraguai. Mas como a campanha na primeira fase não deu ao Flu este direito, as lamentações foram descartadas.

- Não dá para escolher. Os times sul-americanos têm a característica de fechar muito o time fora de casa. De repente, decidir aqui seria melhor, forçaria o adversário a sair para o jogo se conquistássemos um bom resultado fora. Mas não deu para ser assim. Vamos correr atrás.

Com a segunda pior campanha entre os 16 classificados para a segunda fase da Libertadores, o Fluminense só terá o direito de decidir em casa se enfrentar o Once Caldas, da Colômbia, rival do Cruzeiro nas oitavas. O cruzamento, portanto, só é possível na grande final.

veja também