MENU

No Serra Dourada, Goiás consegue arrancar o empate com o Grêmio

No Serra Dourada, Goiás consegue arrancar o empate com o Grêmio

Atualizado: Sexta-feira, 6 Agosto de 2010 as 6:33

Rafael Moura e Ozéia disputam a bola pelo alto

(Foto: André Costa / Agência Estado)   A situação de Goiás e Grêmio no Campeonato Brasileiro é bem parecida – com ambos tentando fugir da zona de rebaixamento. Na estreia das equipes na Copa Sul-Americana, a igualdade prevaleceu. Depois de os gaúchos abrirem o placar na primeira etapa, e diante do goleiro Victor em noite inspirada, o Esmeraldino teve que lutar até o fim para arrancar o empate por 1 a 1, no Serra Dourada, nesta quinta-feira. Melhor para os gaúchos, que conseguiram marcar fora de casa e vão para o duelo de volta, no Olímpico, na próxima quinta, dia 12, jogando pelo 0 a 0. Caso o placar se repita, a classificação será decidida nos pênaltis. Um empate por dois ou mais gols dará a vaga aos goianos. Hugo fez o gol tricolor, e Rafael Moura, em cobrança de pênalti, igualou.

Quem avançar terá pela frente o classificado do duelo entre Peñarol-URU e o vencedor da chave C (Univ. César Vallejo– PER x Barcelona-EQU).

Confira a tabela da Copa Sul-Americana

Esmeraldino não aproveita domínio e sofre gol

O Grêmio começou ameaçando. Aos dois minutos, Jonas recebeu na área pela esquerda, foi à linha de fundo, mas cruzou mal e a bola ficou fácil para o goleiro Harlei. Mas, logo na sequência, o Goiás mostrou que não estava dormindo. Rafael Moura, da entrada da área gremista, arriscou o chute, que saiu por cima da trave de Victor. O He-Man insistiu na jogada. Aos seis, se livrou de dois marcadores e mandou uma bomba de direita, de longe, mas errou o alvo novamente.

A partir daí, o goleiro tricolor passou a ser o mais exigido em campo e mostrou por que está na lista do técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes. Aos 11, após tabela entre Everton Santos e Jonílson, fez bela defesa em chute cruzado da entrada da área.  Aos 15, em cobrança de falta cheia de efeito, o camisa 1 gremista travou o grito de gol de Bernardo.

Embalado pelo bom momento no jogo, os donos da casa mantiveram a pressão. Aos 17, depois de obrigar Victor a ir até o limite da grande área para disputar a bola, Rafael Moura recuou para o estreante Júnior, que tentou encobrir o goleiro, mas mandou pela linha de fundo. Aos 22, Serginho recebeu pela direita e levantou na medida para Rafael Moura, que subiu mais que a zaga gaúcha e cabeceou para fora.

Victor voltou a salvar o Grêmio, aos 29. Junior partiu em velocidade pela esquerda e cruzou, buscando Rafael Moura, mas o camisa 1 mergulhou para ficar com a bola. Aos 32, após mais uma boa aparição, Victor não gostou da queda de Carlos Alberto, que cavou pênalti em disputa dentro da área, e foi tomar satisfações com o jogador esmeraldino. O domínio goiano na primeira etapa se encerrou no chute sem direção de Rafael Moura, aos 34, da meia-lua gaúcha.

Fazendo valer a máxima “quem não faz, leva”, os gremistas partiram para o ataque, aos 35. Da direita, Douglas fez o cruzamento. Adilson, da entrada da área, desviou de calcanhar, deixando Hugo na cara do gol. O camisa 8 do Tricolor gaúcho não pensou duas vezes antes de chutar forte para o fundo das redes, garantindo a vantagem gaúcha na metade inicial.

De pênalti, He-Man evita a derrota goiana

No intervalo, apenas uma alteração. O técnico Silas, do Grêmio, trocou Borges por André Lima. E por muito pouco o Goiás não empatou no primeiro lance de perigo da etapa final. Apenas um minuto após o reinício do jogo, o Esmeraldino conseguiu uma falta pela direita da área gremista. Na cobrança, Bernardo fez o levantamento, Toloi desviou de cabeça, e, na pequena área, Amaral quase mandou para as redes, mas a bola saiu caprichosamente pela linha de fundo. Aos cinco, foi a fez de o goleiro Harlei trabalhar, no chute forte de Jonas, dentro da área goiana. Pouco depois, aos oito, novamente Jonas, dessa vez de fora da área, obrigou o camisa 1 goiano a defesa em dois tempos.

Com volume de jogo, mas sem competência nas finalizações, o técnico Émerson Leão resolveu mexer no Goiás. O treinador tirou o meia Bernardo para a entrada de Felipe, e, no lugar de Everton Santos, entrou Pedrão, aos 12. Mas o ataque goiano tinha um rival em noite inspirada à sua frente. Em mais uma chegada pela direita, Carlos Alberto ia deixando Pedrão de frente para o gol, quando Victor mostrou muita agilidade e interceptou o cruzamento, aos 17. Aos 20, Leão lançou mão de sua última alteração: Romerito no lugar de Carlos Alberto.

Silas respondeu à entrada de mais um homem de criação no time goiano substituindo Hugo por Fábio Santos. E em sua primeira participação, o jogador emendou a cobrança de escanteio com uma meia-bicicleta e obrigou Harlei a bela defesa, aos 25.

Pedrão chegou a correr para a torcida comemorando, aos 28, quando apareceu por trás da zaga gremista e completou o cruzamento da esquerda para as redes. A arbitragem, no entanto, interrompeu a vibração do jogador, assinalando, corretamente, o impedimento. Mas aos 31, Wellington Monteiro invadiu a área pelo lado direito e foi derrubado por Fábio Santos – pênalti e cartão amarelo para o gremista. Na cobrança, aos 33, Rafael Moura foi sem pressa para a bola e, com precisão, a pôs no ângulo esquerdo de Victor, empatando a partida.

Com a confiança reforçada, os goianos voltaram a pressionar, e o goleiro Victor garantiu a condição de nome do jogo em mais uma intervenção, aos 47, em chute cruzado de Pedrão, de dentro da área.     Por GLOBOESPORTE.COM Goiânia

veja também