MENU

Quarteto de atacantes do Flamengo: 1.300 minutos e... nenhum gol

Quarteto de atacantes do Flamengo: 1.300 minutos e... nenhum gol

Atualizado: Segunda-feira, 23 Agosto de 2010 as 11:11

Quatro gols (dois de pênalti) nos últimos oito jogos e a certeza que o Flamengo convive com o caos ofensivo. Val Baiano, Borja, Vinícius Pacheco e o recém-chegado Leandro Amaral colecionam minutagem no Campeonato Brasileiro, mas gol que é bom... Nada. A ineficiência repetiu-se na derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR. A situação é tão desanimadora que o quarteto de atacantes utilizados pelo técnico Rogério Lourenço acumula 1.334 minutos de futebol sem balançar as redes. São mais de 21 horas de estiagem. Enquanto espera por Diogo e Deivid, o Rubro-Negro naufraga. A criação das jogadas, com Renato e Petkovic, não ajuda, é verdade. Mas os atacantes disponíveis sequer criam oportunidades. Vice-artilheiro do Brasileirão de 2009, Val Baiano chama a atenção pela pouca movimentação combinada com excesso de impedimentos. Apesar de se queixar da falta chances, o camisa 9 peca no posicionamento e na dificuldade para dar prosseguimento às jogadas.

O colombiano Cristian Borja fez oito gols no Campeonato Gaúcho, quando era do Caxias, e chegou à Gávea indicado por Rogério Lourenço. Mas Flamengo é outra história. Nos minutos em que esteve em campo, o primo de Rentería chamou a atenção pelas chances claras que desperdiçou contra Vasco e Corinthians. O treinador admitiu em entrevista recente que o estrangeiro sentiu o peso de jogar no clube. Vinícius Pacheco vive situação curiosa. Há três semanas, ele conversou com Rogério Lourenço e pediu para não ser mais escalado no ataque porque preferia disputar posição com Pet no meio-campo. Pelo visto, porém, a vontade dele foi ignorada. Desde então, o treinador só o colocou como atacante. O resultado foi pouca efetividade na função e “filme queimado” com a torcida.

Sem jogar há um ano por causa de um problema grave no joelho direito, Leandro Amaral teve de antecipar a estreia para tentar amenizar o drama rubro-negro do ataque. Apesar do esforço nos dois jogos incompletos de que participou, ele ainda está longe de empolgar.

O único atacante do elenco atual que já marcou no Brasileiro é Diego Maurício. Um gol apenas, é verdade. No entanto, nos últimos jogos, o jovem de 19 anos, conhecido como Drogbinha, sequer tem ficado no banco de reservas.

Diante do deserto de opções confiáveis, o Flamengo apega-se à dupla Deivid e Diogo. Os dois serão apresentados nesta segunda-feira e há a expectativa de que o segundo entre em campo na quinta-feira, contra o Atlético-MG, no Maracanã.

veja também