MENU

São Paulo e Santos acertam troca de Arouca por Rodrigo Souto

São Paulo e Santos acertam troca de Arouca por Rodrigo Souto

Atualizado: Quarta-feira, 20 Janeiro de 2010 as 12

O volante Rodrigo Souto, que estava no Santos, é o sétimo reforço do São Paulo para a temporada 2010. O jogador será envolvido numa troca com Arouca, que irá para a Vila Belmiro até o fim do ano. Para que as duas partes confirmem a transação, falta apenas o volante, que está no Tricolor, assinar contrato com o time da Baixada Santista, o que estava previsto para acontecer nesta terça-feira, dia 19.

- O Rodrigo já pode ser considerado jogador do São Paulo. Tivemos uma extensa reunião com o São Paulo na noite de segunda e acertamos tudo. Falta apenas Arouca acertar com o Santos - afirmou o empresário Marcelo Goldfarb, em conversa por telefone com o Globo esporte. Quem participou da reunião com o Tricolor foi o outro empresário de Rodrigo Souto, Bruno Paiva.

Na verdade, a troca entre os jogadores será por um ano. Mas, como o contrato de Rodrigo Souto com o Peixe se encerra em dezembro de 2010, ele já tem um pré-acordo para permanecer na equipe do Morumbi por mais seis meses, até julho de 2011. Para que a troca não seja desvantajosa para o Santos, o clube da Vila Belmiro fica com 15% sobre os direitos economicos do jogador. A equipe alvinegra já vinha tentando negociar Souto, pois não tem mais como bancar os seus salários, que estão bem acima do teto estipulado pelo novo presidente do clube, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro: R$ 160 mil. Arouca está bem abaixo desse limite.

As duas diretorias já vinham conversando há dias. Quando as tratativas se iniciaram, o Santos pediu Jorge Wagner, mas o técnico Ricardo Gomes vetou a negociação. O São Paulo respondeu oferecendo três opções para o Peixe oportar por uma: Richarlyson, Junior Cesar e Arouca, que foi o escolhido pelo técnico Dorival Júnior. O Santos queria se livrar de Rodrigo Souto, que ganhava um salário muito alto, maior do que o teto estabelecido pelo novo presidente, Luis Alvaro de Oliveira.

Por: Carlos Augusto Ferrari e Marcelo Prado

veja também